O DIA – Triumph apresenta no Salão Bike Show sua linha de motos fabricadas no Brasil

POR Marcio Menasce

Rio –  A fabricante de motos inglesa Triumph expôs no Salão Bike Show deste ano os seis modelos fabricados no Brasil desde o fim de 2012: Tiger 800 XC, Boneville T100, Speed Triple, Tiger Explorer, Rocket III Roadster e Thunderbird Storm. A feira, em sua terceira edição, aconteceu entre os dias 24 e 27 de janeiro, no Rio Centro, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.

Entre as motos da Triumph expostas, a que mais chamou a atenção dos visitantes foi a Rocket III Roadster, com seu motor de três cilindros e 2.300 cilindradas. Quem quiser dominar os 146 cavalos de potência que ela oferece, precisa, no entanto, dispor dos R$ 69,9 mil que ela custa no Brasil.

A Triumph Rocket II Roadster, com 2300 cilindradas e 146 cavalos de potência | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

A Triumph Rocket II Roadster, com 2300 cilindradas e 146 cavalos de potência | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

A moto mais em conta da marca inglesa em terras nacionais é a Boneville T100, que sai por R$29,9 mil e conta com 865 cilindradas e 67 cavalos. A primeira concessionária da Triumph no Rio tem previsão de inauguração para abril e será na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste. Segundo o gerente de marketing da marca no Brasil, Fernando Filie, a loja terá espaço para que os clientes façam um test drive nos produtos.

Outro lançamento deste ano apresentado no salão foi a Ninja 300, da Kawasaki. A popular Ninjinha, que ganhou mais 50 cilindradas em relação ao modelo 2012 e agora conta com embreagem deslizante e painel digital – o conta giros ainda é analógico. O preço sugerido dela varia entre R$17,9 mil e R$ 19, 9 mil, este para o modelo com freios ABS. A Kawasaki também expôs na feira os novos modelos da Z1000 e da Ninja 1000.

A nova Kawasaki Ninja 300 tem o modelo na cor verde mais tradicional da marca | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

A nova Kawasaki Ninja 300 tem o modelo na cor verde mais tradicional da marca | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

Apesar de o evento ser uma festa para as duas rodas, se destacaram também os triciclos. No caso da canadense Can-am, os modelos Spider são ainda mais diferentes, por ter duas rodas dianteiras e uma traseira. Para quem quiser brincar com um desses, o modelo mais básico é o Spider RS, que tem câmbio semi-automático e até marcha ré. A diversão nesse caso sai por no mínimo R$ 64 mil.

De Barra Mansa, no interior do Rio, a Triciclos Riguete levou o seu modelo Super Luxo. Com motor do Volkswagen Cross Fox 1.6 Flex, sistema de som, DVD e câmera de marcha ré, ele custa R$ 39,9. No Rio, a empresa tem uma representante em Sulacap, na Zona Oeste.

O Triciclo Riguete, de Barra Mansa, com câmera para marcha ré, DVD e sistema de som | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

O Triciclo Riguete, de Barra Mansa, com câmera para marcha ré, DVD e sistema de som | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

Em qualquer evento que celebre a paixão por andar sobre duas rodas, a americana Harley Davidson não pode faltar. A marca levou sua linha de motocicletas, e claro, não faltou motociclista para montar em uma máquina da Harley e sentir o gostinho, mesmo que por alguns segundos. Para os mais empolgados, as opções iam desde a 883 R, por R$ 30, 4 mil, até a Ultra, com suas 1700 cilindradas e preço equivalente ao tamanho da moto: R$ 71,4 mil.

Marcas tradicionais do mercado brasileiro também estavam expostas, com motos para todos os gostos e para quem quisesse montar e conhecer, como Honda, Yamaha e Kasinski. Um mini museu da motocicleta tinha exemplares antigos e raros como uma Hoffman 300, de 1951, com direito a side car – aquele carrinho acoplado para transportar o carona – e uma Royal Enfield, de 1948. A dose de adrenalina ficou por conta do Giro 360, um trilho tubular em que qualquer pessoa podia acelerar até completar o looping.

A Hoffman 300, de 1951, no museu da moto | Foto: Márcio Menasce / Agência o Dia

A Hoffman 300, de 1951, no museu da moto | Foto: Márcio Menasce / Agência o Dia
O Giro 360 era disponível para qualquer visitante que quisesse experimentar | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

O Giro 360 era disponível para qualquer visitante que quisesse experimentar | Foto: Márcio Menasce / Agência O Dia

Related posts

Leave a Comment