EUA: Ler os emails da esposa pode dar cadeia…

Grande parte dos divórcios nos EUA envolve a invasão de contas de e-mails

Walker, um americano de 33 anos, foi acusado após ter acessado a conta do Gmail de sua mulher, Clara, que já foi casada duas vezes. Walker descobriu que ela estava tendo um caso com seu segundo marido, que foi preso por ter batido em Clara em frente ao filho que ela teve em seu primeiro casamento.

Walker entregou os e-mails ao pai do menino, se dizendo preocupado com sua segurança. O pai procurou a custódia. Quando Clara descobriu que os e-mails tinham sido lidos e passados adiante, ela procurou as autoridades.

Segundo a promotora Jessica Cooper, Walker violou a lei após ter “hackeado” a conta da sua mulher. Porém, ele alega que o computador era do casal, e Clara se defende dizendo que o aparelho era apenas dela. O estatuto sobre hackers é usado para casos como invasão de sistemas de segurança. A lei é usada para proteger fraudes ou que alguém descubra algum segredo de mercado ou de propriedade intelectual das empresas, mas não é previsto para casos de infidelidade conjugal.

Conforme especialistas, o julgamento de Leon Walker pode ter importante repercussão já que grande parte dos divórcios nos EUA envolve a invasão de contas de e-mails, mensagens de texto e redes sociais.

Related posts

Leave a Comment