Conheça a história da Rodovia Presidente Dutra

Rodovia Presidente Dutra

A Rodovia Presidente Dutra (BR-116, também SP-60 no estado de São Paulo) faz a ligação entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Possui extensão total de 402 km, iniciando-se no Trevo das Margaridas, no Rio de Janeiro e terminando na Ponte Presidente Dutra, no acesso à Marginal Tietê, em São Paulo. No estado do Rio de Janeiro, a rodovia tem extensão de 171 km, e no estado de São Paulo, 231 km. A Via Dutra é considerada a rodovia mais importante do Brasil, não só por ligar as duas metrópoles nacionais, mas bem como atravessar uma das regiões mais ricas do país, o Vale do Paraíba e ser a principal ligação entre o Nordeste e o Sul do Brasil.

História
A primeira ligação rodoviária entre o Rio de Janeiro e São Paulo foi aberta pelo governo do então presidente Washington Luis e inaugurada a 5 de maio de 1928. Em 1938 foi inaugurado o Monumento Rodoviário da Rodovia Presidente Dutra.

Inauguração

No final da década de 1940, a industralização e a necessidade de uma ligação viária mais segura e eficaz entre as duas maiores cidades brasileiras levaram à construção da atual Via Dutra, inaugurada em 19 de janeiro de 1951 pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra. A BR-2, como era conhecida então, possuía pista simples em grande parte do seu percurso, e só era duplicada nos trechos entre São Paulo e Guarulhos, e na Baixada Fluminense.

Durante a década de 1960 a pista foi duplicada em vários trechos. Em 15 de novembro de 1967, era entregue a duplicação da rodovia, pelo então presidente Costa e Silva, na presença de Dutra e de outras autoridades, entre elas o ministro Mário Andreazza e o governador Abreu Sodré. A estrada foi encurtada em 12 km, em conseqüência das variantes, de Parada de Lucas até Vila Maria, com o custo da obra estimado em torno de NCR$ 177 milhões.

Construção de ponte na Rodovia Presidente Dutra

Após a solenidade, o general e sua comitiva se deslocaram para o km 225, onde foi oferecido almoço, com a presença de cinco mil pessoas, entre empreiteiros e operários. Na década de 1980 o tráfego na Dutra foi aliviado pela construção, pelo governo paulista, de uma via expressa entre São Paulo e Guararema, denominada de Rodovia dos Trabalhadores, atual Rodovia Ayrton Senna. Esta via foi prolongada na década de 1990 até à cidade de Taubaté, sob o nome de Rodovia Governador Carvalho Pinto.

Diversas personalidades faleceram em acidentes na Via Dutra, tais como Francisco Alves (1952), na altura de Pindamonhangaba e o ex-presidente Juscelino Kubitschek (1976), quando o Opala em que viajava atravessou a pista, do km 163, hoje 168, ficando embaixo de uma carreta nas proximidades de Resende.

Em março de 1996 a operação da rodovia foi concedida e atualmente é administrada pela empresa NovaDutra S/A, a qual realizou obras de melhoria e ampliação da pista, como marginais em São José dos Campos.

A Nova Dutra

admin

Você e sua moto! Nós amamos motos!

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *