Motociclismo Segurança 

Motociclistas morrem mais que pedestres no trânsito de Curitiba – PR

Os motociclistas são as principais vítimas no trânsito de Curitiba. Dados do Programa Vida no Trânsito mostram que, até 2012, a maioria das mortes em acidentes de trânsito vitimavam pedestres. A partir de 2016, esse quadro mudou, e os motociclistas tomaram a primeira posição neste ranking trágico. Naquele anos foram 69 das 196 mortes — sete a mais que entre os pedestres, que caíram para a segunda posição.

Por causa destas estatísticas, algumas ações foram tomadas nesta semana. Ontem, a Escola Pública de Trânsito da Superintendência de Trânsito (Setran), realizou abordagens a motociclistas da Capital. “Exigências como respeitar a velocidade e a sinalização, além de manter o veículo em ordem, estão entre as dicas que nunca é demais repetir”, frisa a agente Cláudia Moreira, munida de fôlderes para ilustrar os argumentos. De 1,4 milhão de veículos rodando em Curitiba, segundo o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran), 150 mil são motos.

Também ontem, em parceria com o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), foi iniciado um teste com bolsões para motos nos semáforos. Os bolsões, ou box, são áreas delimitadas nos cruzamentos e permitem que os veículos menores aguardem a abertura dos semáforos na frente de carros, ônibus e caminhões. A expectativa é que a medida, que já funciona em cidades como São Paulo, Brasília e Rio Branco, melhore a visibilidade e ajude na redução de acidentes.

A nova sinalização será utilizada em caráter provisório, para teste e monitoramento de eficiência por 60 dias. Se os resultados forem satisfatórios, os bolsões poderão ser instalados em outros locais da cidade.

Acidentes

Dados do Seguro DPVAT mostram que 65% das indenizações por morte no trânsito pagas no Brasil são para condutores ou passageiros de motos. O índice chega a 90% nos valores pagos por invalidez e 83% nas internações. As vítimas são, na absoluta maioria, homens em idade economicamente ativa: 52% tem entre 18 a 34 anos.
No Paraná, a frota de motocicletas representa apenas 20% do total de veículos em circulação. No entanto, as motos estão envolvidas em 33% dos acidentes registrados e os motociclistas são 38% dos feridos e 23% dos mortos no Estado. em 2017, foram 21 mil acidentes com motos no Paraná, com 16.874 vítimas.

Em Curitiba, são 150.826 motocicletas, motonetas e ciclomotores registrados, o equivalente a 10,76% da frota da Capital, que soma 1.401.710 veículos. No ano passado, foram 4 mil acidentes com motos e cerca de 2,6 mil vítimas.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment