Fraudes Bancárias via Web: você está a salvo?

[photoframe folder=wp-content/blogs.dir/38/files/fraude-1323843808 filename='securityweb.jpg' size=small desc='Fuja das fraudes' align=left]A participação da internet nas transações bancárias dobrou de 10% para 20% do total entre 2003 e 2009, subindo de 2,6 bilhões para 9,3 bilhões. Para usufruir delas sem problemas, o consumidor deve ficar atento para não cair em armadilhas de fraudadores. Por isso, a FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos faz as seguintes recomendações aos consumidores-internautas para que evitem correr o risco de fraudes:

-Mantenha atualizados os antivírus no computador usado para acessar os serviços bancários;

-Troque sua senha de acesso ao banco na internet periodicamente;

-Só use equipamentos confiáveis. Não faça operações em equipamentos públicos ou que não tenham programas de antivírus atualizados e nem em equipamentos que você desconheça, pois fraudadores usam programas, como os Cavalos de Tróia, que capturam informações do cliente;

-Quando receber um e-mail:

-Apague, sem abrir, os não solicitados e que você não tenha absoluta certeza de que procedem de fonte confiável;

-Mesmo que a mensagem pareça confiável, não execute aplicações e nem abra arquivos de origem desconhecida sem fazer a verificação por meio do sistema antivírus atualizado.

-A verificação deve ocorrer mesmo se a mensagem for enviada por remetente conhecido, pois pode conter vírus, Cavalos de Tróia e outras aplicações prejudiciais sem que o remetente saiba disso;

-Quando em dúvida, contate seu banco.

-Use um sistema operacional oficial. Sistemas e programas pirateados podem trazer algum programa espião;

-Se utilizar provedor de acesso a internet, certifique-se de que ele seja confiável;

-Utilize sempre as versões de browsers (programas de navegação) mais atualizadas, pois geralmente incorporam melhor os mecanismos de segurança;

-Tome cuidado especialmente com arquivos e endereços obtidos em salas de bate-papo (chats). Alguns deles são frequentados por hackers;

-Evite sites arriscados e só faça downloads (transferência de arquivos) dos que você sabe que são confiáveis;

-Verifique se o endereço do site acessado começa com https:// (diferente do http:// nas conexões normais). A letra ‘s’ antes dos dois-pontos indica que a conexão ao endereço é segura. Alguns browsers podem incluir outros sinais. Em alguns navegadores, local onde o endereço do site aparece muda de cor, por exemplo, e mostra um cadeado fechado;

-Acompanhe os lançamentos em sua conta corrente. Caso constate qualquer crédito ou débito irregular, entre imediatamente em contato com o banco;

-Por fim, se você estiver em dúvida sobre a segurança de alguma operação, entre em contato com o seu banco e peça orientação. A prevenção é a melhor solução.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.