China engrossa ainda mais contra o conteúdo "vulgar"

A China engrossou ainda mais sua campanha na Internet. Depois de listar 14 novos websites, entre os quais o MSN da Microsoft e repreender também o Google por “enrolar” na limpeza de suas páginas o Partido Comunista na China ameaça agora ele mesmo censurar as informações no país. A informação é que antes as medidas não funcionavam pois eram brandas, agora a China levou à frente novos esforços para coibir a pornografia, as críticas políticas e as fraudes online com medidas mais duras.

O MSN foi chamado a se explicar por que ainda não tirou imagens inadequadas em seu canal de filmes e em sua seção de rede social. O momento é delicado, pois o Partido Comunistavai reprimir os dissidentes e os protestospois a China entra em um ano de aniversários delicados, um deles é o vigésimo aniversário desde a sangrenta repressão das manifestações pró-democracia na Praça de Tiananmen em 1989.

O governo vai apertar e contra-ataca com uma sofisticada rede de controles devendo fechar sites inteiros ou bloquear páginas individuais dentro deles. Também está em ação um sistema que incentiva(dedo-duro virtual) a auto-censura nas grandes companhias de Internet. A polícia de Internet, criada pelo Partido, patrulha o ciberespaço estimulando os internautas a acessar um link direto para denunciar conteúdo pornográfico, antipatriota ou de qualquer forma ofensivo.

Tais medidas são insuficientes para barrar o avanço da internet e a liberdade de expressão. A tradição chinesa de controlar todos os processos e manifestações é milenar.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment