Mercado Motocicletas 

2017: Yamaha cresce 16,7%. BMW fecha com 30% de aumento nas vendas

Outro ponto importante é que, de acordo com os dados de vendas para as concessionárias (atacado), apenas quatro marcas irão terminar 2017 no azul. São elas a Yamaha, que fechará o período com crescimento de 16,7%; BMW, com aumento de 30% nas motos comercializadas para revendas, Harley-Davidson, com saldo positivo de 3,9% e Ducati, que enviou para as lojas quase 14% mais motos.

Já nas exportações, outro crescimento expressivo a favor do Brasil. Em 2016, foram 59 022 motos que deixaram o País, enquanto 2017 vai fechar com quase 40% a mais, chegando às 83 000 unidades exportadas. Os países que mais receberam motos brasileiras durante o ano foram a Argentina, que teve como destino 65,4% das exportações e a Colômbia, com 9,5%.

Números ainda ruins

O ano de 2017 não foi dos melhores para o setor de duas rodas, mas o próximo deve ser de retomada. É nisso que acredita a ABRACICLO, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares. De acordo com os dados divulgados hoje em coletiva de imprensa, as vendas de moto devem subir pouco mais de 2% no ano que vem, batendo os 865 000 exemplares, enquanto a produção deverá chegar em 935 000 unidades, superando este ano em 5%.

Segundo a ABRACICLO, este ano irá fechar com um total de 847 000 vendidas no varejo, o que corresponde a quase 6% de queda frente às 899 793 motos vendidas em 2016. Já a produção se mantém praticamente estável em relação ao ano passado, com projeção de fechar o ano em 890 000 motos. Em 2016, foram 887 653 motocicletas produzidas.

Embora as estimativas sejam boas, o executivo foi cauteloso em afirmar que teremos um ano realmente melhor. “Mesmo com essas estimativas, ano que vem ainda é um grande ponto de interrogação por conta do movimento político, mas a gente não pode ficar parado esperando o que vai acontecer”, disse o presidente da ABRACICLO, Marcos Fermanian.

 

O ano do scooter

A ABRACICLO ainda destacou a expressividade dos scooters no panorama de vendas de 2017, que deve quebrar um recorde histórico até o fim de dezembro. Segundo os números da associação, até o fim do ano devem ser comercializados 58 600 scooters, um aumento de 57% em relação ao ano passado e que supera até mesmo as 42 491 unidades comercializadas em 2014, que representavam até então uma marca histórica para o segmento. “O segmento de scooters é um dos que mais cresce e superou até mesmo o de alta cilindrada, que havia sido destaque nos últimos anos”, comenta o presidente Marcos Fermanian.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment