Veja as dez motos mais baratas do Brasil

PRIMA DA KASINSKI

DO IG CARROS

odo mundo sabe que, em cidade grande, só existem três formas de escapar do trânsito: descobrindo caminhos alternativos e não contando pra ninguém, desistindo de sair e se trancando dentro de casa ou pilotando uma moto. Essa última opção, além de economizar bons minutos de paciência que precisaríamos ter para suportar a fila de carros, também ajuda a poupar uma boa grana quando o assunto é consumo de combustível. E mais: o preço de uma zero-quilômetro quase sempre nem se compara ao de um carro usado.Pensando nisso, iG Carros resolveu mostrar para você as dez motos mais baratas do País, pontuando o que cada uma delas oferece além do prazer de poder acordar mais tarde e chegar no horário no trabalho

10º – Dafra Riva 150Na décima posição poderiam entrar duas motos da Dafra, mas resolvemos mostrar apenas uma delas, a Dafra Riva 150, já suas vendas são bem maiores que a Kansas 150. O modelo é equipado com um motor de 149 cm³ de cilindrada de 12 cv e câmbio manual de cinco marchas. Assim como algumas de suas rivais, o seu painel de instrumentos mescla conta-giros analógico com um mostrador digital que mostra informações sobre do velocímetro. O preço do modelo começa em R$ 5.090.

9º – Yamaha Factor YBR 125K

Na nona posição está a Yamaha Factor YBR 125K. O modelo, que custa R$ 5.140, possui motor de 125 cm³ de cilindrada com potência de 10,2 cv e traz de série o básico que uma moto precisa ter: painel analógico com velocímetro, hodômetro e mostrador do nível de combustível, cavalete central, trava para capacete e pedaleiras traseiras fixas. Além disso, ela é equipada com filtro de ar de espuma lavável e seu tanque de combustível tem capacidade para até 13 litros de gasolina.

8º – Honda Biz 100

Recém-lançada, a Honda Biz 100 é a nossa oitava colocada. Essa versão marca o retorno do modelo ao mercado das motonetas de 100 cm³ e já chega sendo o segundo modelo mais barato da montadora japonesa – os preços começam em R$ 4.710. Seu motor, movido a gasolina, possui 97,1 cm³ de cilindrada e 6,43 cv.  O painel de instrumentos tem apenas velocímetro, hodômetro e marcador de combustível.

7º – Dafra Speed 150

Por menos de R$ 5.000 já dá para comprar uma moto zero-quilômetro de 150 cm³. Você duvida? A Dafra Speed 150 custa R$ 4.690 e ocupa o sétimo lugar. Ela é simples, possui design comum e, além disso, traz painel totalmente analógico, com as informações necessárias para o motociclista rodar tranquilo pelas ruas. Seu motor é o mesmo da Riva e da Kansas.

6º Kasinski Win – R$ 4.290

Uma das principais integrantes da categoria CUB (que mescla visual de scooter com a posição de pilotar de street e tem câmbio semi-automático, que dispensa embreagem) é a Kasinski Win. Seu preço, estipulado pela marca em R$ 4.290, a torna a sexta colocada na nossa seleção. O modelo é equipado com rodas de aro 17”, freio a disco dianteiro, compartimento para guardar objetos sob o assento, painel analógico com informações sobre velocidade e tanque de combustível e, além disso, possui protetor de borracha nos pedais de freio e câmbio. Vale lembrar que esse modelo possui uma versão com motor elétrico – a Win Elétrika – que custa R$ 4.990.

5º Honda Pop 100

O modelo mais barato da Honda é o nosso quinto colocado. Estamos falando da Pop 100. Ela custa R$ 4.050 e, assim como os outros modelos, é uma moto básica. Seu motor possui 97,1 cm³ de cilindrada e trabalha com câmbio de quatro marchas. A moto desenvolve apenas 6,3 cv e seu foco está na economia de combustível – de acordo com a marca, o modelo consegue rodar até xxx km/l. Enquanto isso, o design não é o seu forte mesmo. O modelo chega a parecer uma mistura de Biz com peças da antiga CG.

4º Dafra Zig 50

Quer pagar menos de R$ 4.000 em uma moto supereconômica? Uma boa pedida é a Dafra Zig 50, que custa R$ 3.740. De acordo com a marca, ela consegue rodar até 67 km/l, o que faz com que a motinho rode até 288 km usando apenas um tanque de combustível (compartimento restrito a apenas 4,3 litros, já contando com a reserva). Como seu motor é um monocilíndrico de 49,5 cm³ de cilindrada, não espere sentir altas emoções, já que o seu foco não é esse. Sua potência máxima é de 3,2 cv e o torque transferido para as rodas de apenas 0,32 kgfm. Para aqueles que podem abrir mão da economia por um pouco mais de potência há a opção da Zig+, com preços a partir de R$ 4.190.

3º Kasinski Soft 50

Concorrente do modelo anterior, a Kasinski Soft 50 é a terceira colocada no nosso ranking. A CUB é vendida por R$ 3.690 e possui motor de 49,5 cm³, que gera 3,5 cv e torque de 0,35 kgfm. Seu painel possui informações básicas, como marcador de combustível e indicador de marchas e, além disso, sua velocidade máxima é controlada em 50 km/h. A marca informa que o grande forte da Soft 50 é o baixo consumo de combustível.

2º Dafra Super 50

Para aqueles que não estão nem aí para design (nem para velocidade) e querem mesmo é poupar dinheiro na hora de se locomover, a Dafra Super 50 custa R$ 3.490 e é supereconômica. Equipada com o mesmo motor da Zig 50, de acordo com a marca, ela consegue atingir consumo médio de 50 km/l. O modelo possui partida elétrica, acionamento automático de embreagem e painel de instrumentos básico.

1º Kasinski Prima Electra 500

A moto mais barata do Brasil, pelo menos até o início do mês de julho, é uma miniscooter da Kasinski e é… elétrica. Isso mesmo, estamos falando da Prima Electra 500. Surpreso? Saiba que com R$ 2.890 você já pode andar por aí de moto e ainda por cima sem agredir o meio ambiente. O modelo possui baú para levar objetos, suspensão traseira monochoque, freio a disco dianteiro, rodas de liga leve e o seu design chega a ser “simpático”. Seu motor tem potência de 500 W e consegue rodar até 30 km com apenas uma carga. Vale destacar que o modelo atinge velocidade máxima de 30 km/h, por isso, para aqueles que querem ir um pouquinho mais rápido, a marca oferece a Prima Electra 2000, com potência de 2000 W e velocidade máxima de 60 km/h. Seu preço é de R$ 4.190.

E aí? Decidiu qual “motoca” você vai comprar? Independentemente da escolha, iG Carros recomenda o uso de todo o aparato necessário para pilotar nas ruas – principalmente o capacete. E lembre-se: respeite a sinalização de trânsito e a faixa de pedestres.

Related posts

Leave a Comment