Regionalização da TV digital muda foco de atuação de fabricantes

Mudança nos negócios

O avanço da TV digital e o atual processo de interiorização do sinal  para cidades e municípios afastados das grandes capitais começam a impactar nos modelos de negócios dos principais players do mercado.A multinancional italiana Screen Service, presente no Brasil desde 2008, aproveita a atual fase de implantação do sistema para focar seus investimentos em links de microondas, como solução mais adequada técnica e financeiramente para atender  demanda de emissoras e retransmissoras do interior do País que começam a migrar do modelo analógico para o digital.

De acordo com Júlio Prado, diretor comercial da fabricante no Brasil, a tecnologia vem sendo bastante procurada pela engenharia de emissoras afastadas dos grandes centros urbanos. Segundo ele, por cobrirem áreas menores e os custos com locação de satélites e estruturação de redes de fibra ótica ainda serem elevados, muitas têm investido em links para suprir suas necessidades. “Acaba sendo uma opção mais vantajosa, pois é um investimento que não se restringe apenas a transmissão do conteúdo digital, mas a toda comunicação de dados da emissora”, explica.

Para exemplificar, Prado explica que na transmissão via satélite, apesar do sistema ser mais robusto e cobrir áreas maiores, a emissora apenas recebe dados. Na transmissão por links de microondas eles trafegam de forma bilateral. “Na prática essas emissoras e retransmissoras ganham um novo canal para a troca das mais variadas informações, pois vários dados trafegam numa única rede, algo muito semelhante ao conceito de intranet”, esclarece o diretor da Screen Service.

A aposta da fabricante, além de levar em consideração o atual momento de migração do modelo analógico para o digital, é justificada também pelo número de retransmissoras em operação no País. Segundo levantamento da Anatel, atualmente são mais de 10 mil em todo o território brasileiro, o que garante um mercado com alto potencial de compra.

Indo além, Prado explica que este número aliado ao fato de todas emissoras e retransmissoras deverem estar adaptadas ao modelo digital até 2013, deverá ser um dos vetores que impulsionarão os investimentos em links de microondas. “Devemos ter uma procura intensa da tecnologia nos próximos anos. Apenas em 2011 planejamos faturar R$ 8 milhões apenas com a venda desta linha de produtos”, revela.

Related posts

Leave a Comment