Mais detalhes sobre o processador Intel de 48 núcleos

Os pesquisadores da Intel Labs demonstraram no início do mês um processador experimental da Intel de 48 núcleos, ou “computação nas nuvens em um único chip”, que repensa muitas das estratégias usadas nos atuais designs para notebooks, PCs e servidores. Esse chip futurístico oferece cerca de 10 a 20 vezes o número de mecanismos de processamento instalados dentro dos mais populares processadores Intel® Core™.

O objetivo a longo prazo da pesquisa é adicionar incríveis características de escalabilidade em futuros computadores, para estimular aplicativos inteiramente novos e interfaces humano-máquinas. A empresa planeja engajar a indústria e a academia no próximo ano ao compartilhar 100 ou mais desses chips experimentais para pesquisas práticas sobre o desenvolvimento de novos aplicativos e modelos de programação.

Núcleos permitem que o software direcione inteligentemente os dados para maior eficiência.

O chip conceito é equipado com uma rede de alta velocidade entre os núcleos para compartilhar eficientemente informações e dados. Essa técnica fornece melhorias significativas no desempenho da comunicação e na eficiência no consumo de energia em relação ao atual modelo de data centers, já que os pacotes de dados precisam se movimentar poucos milímetros dentro de um único chip ao invés das dezenas de metros para outro sistema computacional.

Os aplicativos de software podem usar essa rede para transmitir rapidamente a informação diretamente entre os núcleos em questão de microsegundos, reduzindo a necessidade de acessar dados em um sistema de memória mais devagar fora do chip.

Tarefas relacionadas podem ser executadas em núcleos próximos, até mesmo passando os resultados diretamente de um para o próximo, como em uma linha de montagem, para maximizar o desempenho geral. Além disso, esse software de controle é ampliado com a habilidade de gerenciar a voltagem e a velocidade do clock. Os núcleos podem ser ligados e desligados ou até alterar seus níveis de desempenho, continuamente adaptando o uso de energia ao mínimo necessário para cada tarefa.

Related posts

Leave a Comment