Motociclismo Óleos e lubrificantes 

Lubrificador automático de corrente: vale a pena ter um?

Kit chega desmontado. A montagem é muito fácil e pode ser realizada em qualquer moto que possua sistema de transmissão movido por corrente.
Kit chega desmontado. A montagem é muito fácil e pode ser realizada em qualquer moto que possua sistema de transmissão movido por corrente.

Eu já havia tratado aqui sobre a importância de se lubrificar a corrente periodicamente. Inclusive forneci dicas de como lavar e lubrificar sua corrente para muitos quilômetros. Mas eu não estava satisfeito e fui buscar outras soluções. Testei várias delas e a que mais me agradou foi este sistema comercializado pela Tutoro.

Adquiri o produto na Tutoro Brasil. Paguei por ele R$ 389,99 mais o frete de R$20. Escolhi a moto de um amigo motociclista para realizar o teste. O Herbert Viana, que não é o dos Para-lamas do Sucesso, também estava procurando uma solução para lubrificar a corrente da sua moto. A ideia foi testar na moto dele que roda em média 20 km por dia em vários tipos de solo. O Herbert anda em asfalto, terra e calçamento; daí ter sido o escolhido para testar o produto. A instalação aconteceu no início de dezembro de 2013. De lá pra cá o Herbert me passava vários feedbacks semanalmente. A partir destes relatórios, novas regulagens de liberação de óleo eram testadas. O resultado final foi uma corrente permanentemente lubrificada.

Fig -1 - Elevando um pêndulo metálico para facilitar a descida do óleo até o bico. Fig-2 Estado da lubrificação com apenas dois quilômetros após instalada. Fig-3 Imagem do óleo descendo pelo cano em direção ao bico. Primeira sangria após instalado.
Fig -1 – Elevando um pêndulo metálico para facilitar a descida do óleo até o bico. Fig-2 Estado da lubrificação com apenas dois quilômetros após instalada. Fig-3 Imagem do óleo descendo pelo cano em direção ao bico. Primeira sangria após instalado.

O sistema é fácil de montar e funciona sem qualquer tipo de gambiarra. Não precisa furar, não usa a bateria da moto e nem necessita que você pressione qualquer botão para lubrificar a corrente – é tudo automático. Ele possui no reservatório do óleo uma válvula que funciona como um pêndulo metálico, que com a vibração e o movimento da moto, libera o óleo fazendo com que chegue na corrente através de um bico dosador. Quando a moto está parada o pêndulo fica fechado (Lei da Gravidade) e assim ele não libera o lubrificante e nem suja o piso. Além disso, pode ser removido facilmente e reabastecido rapidamente mantendo a corrente sempre lubrificada.  A carga de óleo no reservatório, com uma volta e meia de regulagem, necessitará de reabastecimento com cerca de 1000 km rodados. Você pode utilizar o mesmo óleo destinado ao motor da moto. Sabe aquela sobra que fica da troca de óleo? Pois é, agora ela tem utilidade. Vai pra corrente.

Fig-4 e Fig- 5 Estado da corrente com 2km e 5 km percorridos. Fig-6 Estado da corrente com 40 km percorridos. Fig-7 Estado da corrente com 80km percorridos.
Fig-4 e Fig- 5 Estado da corrente com 2km e 5 km percorridos. Fig-6 Estado da corrente com 40 km percorridos. Fig-7 Estado da corrente com 80km percorridos.

Vales destacar (veja fotos) que a moto em questão chegou com a corrente suja e enferrujada em alguns pontos, ideal para poder avaliar a eficiência do sistema comercializado pelo fabricante. Nunca é demais lembrar que a corrente da moto permanentemente lubrificada irá durar mais e junto com isso o kit de transmissão. Vale destacar que neste tipo de sistema, o próprio movimento da roda (força centrífuga)  faz com que, até mesmo os anéis e o-rings, estejam sempre cobertos com uma película de óleo.

Fpacil de instalar e o óleo pode ser o mesmo que você utiliza no seu motor.
Fpacil de instalar e o óleo pode ser o mesmo que você utiliza no seu motor.

Instalei o kit numa Honda Transalp. Segundo Herbert Viana, empresário do setor de confecções, “a instalação é fácil e qualquer pessoa pode fazer sem a necessidade de ter que levar a moto a uma oficina especializada”. Uma dúvida que nos ocorreu no momento da instalação foi se o bico direcionador do fluido de lubrificação continuaria no lugar após a moto começar a rodar. De acordo com Herbert o bico direcionador do fluxo de óleo “não saiu do lugar uma única vez sequer”. O sistema permite a regulagem da liberação do óleo, variando em até quatro voltas.

Iniciamos os testes com a abertura da liberação do óleo em uma volta e meia e percebemos que já nos primeiros cinco quilômetros a corrente já apresenta lubrificação. Foi observada a lubrificação da corrente em varias situações, variando a regulagem de liberação do fluxo de saída do óleo. O teste aplicado estava previsto para começar com duas voltas e meia até completar os 30 km. Depois que a corrente ficou bem lubrificada, reduzimos a abertura para 1 volta e meia e a corrente permaneceu bem lubrificada até o final do teste.

Nossa avaliação final é que gostamos do produto. Tanto que o Herbert já ficou com o meu pra ele.

AGRADECIMENTO ESPECIAL: Herbert Viana pela disciplina e pela paciência.

Serviço:

http://www.tutoro.com.br
http://www.facebook.com/tutorobrasil

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.