FORTALEZA TEM HISTÓRIA: Fortaleza tem passado sim… e bom!

FORTALEZA TEM HISTÓRIA:

Fortaleza tem passado sim… e bom!

Querem ver?

Você viveu ou conhece alguém que é do tempo em que….

A COBAL ficava na esquina da rua Assunção com Antonio Pompeu.

E o IAPC (Isto ainda pode cair)

Vendia-se ‘chegadim’ de porta em porta (o ‘veinho’ passava tocando o triângulo)

O verdureiro ia de porta em porta montado no jumentinho e vendendo verduras frescas.

Na véspera do Natal ir até a Praça do Ferreira ver as vitrines das lojas todas com enfeites natalinos era moda.

Era chique ir na sorveteria da Lobrás subir e descer na ‘primeira’ escada rolante da cidade.

Usar sapato ‘carinha de bebe’, calça cocota e blusa frente única era luxo!

Lembra dos fuscas pretos da polícia (TETÉUS)?

Da velha Ponte Metálica em tempo de cair mas não caia.

Tempo da Mesbla na Senador Pompeu e da Flama na praça do Ferreira (Flama: Símbolo de distinção!)

Ir ao Recreio Clube de Campo era uma viagem com muito verde e salinas pelo caminho.

Das peixadas no restô ‘Alfredo o Rei da Peixada’ e sempre aparecia um boneco ventríloquo para divertir a gente.

Do pequeno zoológico que havia no Parque das Crianças.

Ir a shows no Ginásio Paulo Sarasate (Rita Lee, Gilberto Gil, Elba,

Ney Matogrosso, Moraes Moreira, Moacyr Franco, entre outros).

Ir a Jericoacoara de barco (saindo de Camocim) Jeri sem energia, sem hotel ou pousada (o povo ficava em casa de Pescador)

Do bronzeador ‘Nude bronze’

Comprar Mentex antes de assistir filme no Cine São Luiz.

Do batom rollon sabor morango da Avon que era vendido exclusivamente na Casa Parente do Centro.

Da pizza no Jairo na Av. Santos Dumont

Ir a Feira das Flores no passeio Público (quando ainda era um ambiente familiar).

Assistir aos sábados pela TV o programa do Irapuan Lima e do Chacrinha.

Ir aos domingos ao aeroporto ver os aviões decolarem.

Usar decote canoa era alta moda.

Da revista POP.

Da feirinha da Pça. Portugal na sexta feira.

Da feirinha da 13 de Maio aos sábados.

Do Jardim da Menopausa (Aquarius) na Beira-mar.

Início das bandas de carnavais Periquito da Madame, Que [email protected]#%& é essa?

Bandalheira, Quem é de Bem fica;

Das Lojas Di Roma, Xepão, Xepinha, Carvalho Borges, Samasa,

Esquisita, Bel Lar, a Esmeralda.

Do sorvete no Juarez.

Tempo em que a Av. Sen.Virgílio Távora ainda era Av. Estados Unidos.

Tomar picolé da GELATI.

Tomar banho de chuva nas bicas das casas.

Ir no Jumbo e comprar grapete (quem bebe repete!), crush, guaraná Wilson,TAI e Cacique.

Do tamanco Dr. Sholl e do sapato cavalo de aço.

Tempo em que Soft era uma bala. Hoje é sobrenome de vereadora.

Do curso de datilografia na Pça. Coração de Jesus e do Curso Andrade Lima na Av do Imperador. (Vixe!!!!)

Das revistinhas Bolota, Brotoeja, Tininha, Riquinho, Luluzinha.

Comprar vassoura e espanador na porta de casa, Comprar no centrão pote de creme Rosa Mosqueta vindo do Paraguai.

Do grupo cearense Quinteto Agreste.

Do Projeto Pixinguinha no Teatro José de Alencar a preço popular onde se apresentaram 14 Bis, Nara Leão, Maria Alcina, Moreira da Silva

entre outros.

Inauguração das lojas Americanas no centro da cidade.

Lembra dos lanterninhas?

Ir passar férias na colônia de férias do SESC em Iparana e na COFECO era tudo de bom.

Do tempo em que IJF era Assistência.

Ir na Sorveteria PRIMOR, de seu Anastácio e do seu Cordeiro, comprar um picolé da própria fruta, na Praça da Bandeira…

Das armações de óculos Cacá (cadê Cacá, Cacá, Cacá, tá no Boris, Boris, Boris).

Do tempo que criança usava calça enxuta (não Existiam fraldas descartáveis)

As Lojas Romcy que ficava na Br. Rio Branco com Liberato

Barroso.

Após o Jornal Nacional com Sérgio Chapelen e Cid Moreira você ouvia a voz do Assis Santos dizendo: ‘Amanhã o barato do dia Romcy

é…’. he he he !!!! ‘Romcy é Romcy, barato todo dia’!

Dos bailes infantis de carnaval no América, Círculo Militar, Country, Líbano, Náutico e Clube B-25

As tertúlias do Náutico nas noites de quarta feira…

Estudar OSPB e Educação Moral e Cívica. É o novo!

E a mais antiga de todas: Chupar rolete de cana que vinha fincado em uns espetinhos.

Resumindo:

Se você é fortalezense e tiver vivido uma dessas coisas, é simplesmente porque viveu os melhores momentos da boêmia e da

inocência na cidade de Fortaleza. Não se trata de que estamos ‘velhos e velhas’, e sim de que nós tivemos o privilégio de vivermos o melhor

do nosso tempo, o que infelizmente a atual juventude não teve e também não sabe o que perdeu…

Era um tempo sem violências, ou melhor, tinha violência sim, mas era tão pouca que a gente nem ouvia falar… Que tempo bom e que

lembranças gostosas…

E muitas dessas coisas que estão aí, nem faz tanto tempo assim também não…

Pense num lugar pai d’égua!

(*) Anônimo

admin

Você e sua moto! Nós amamos motos!

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *