Entendendo o Boleto Bancário – Comércio Eletrônico

(*) Por e-vendasBRASIL

Neste artigo explico como funciona o boleto bancário e como você pode ter esse recurso cada vez mais presente em sites dinâmicos. Quanto você terminar de ler esta artigo, você terá esclarecido a maioria de suas duvidas sobre o assunto.

Bom, vou dividir este artigo em três tópicos, são eles:

Partes que compõe um boleto bancário, e seu significado.
Noções de cobrança bancária.
Como funciona a programação de implementação do mesmo.
Partes que compõe um boleto bancário, e seu significado.
Neste tópico iremos conhecer os principais campos de um boleto e seu significado.
Observe a figura abaixo, ela é meramente ilustrativa, para facilitar a localização de cada campo.

Campos a verificar no boleto

Entendendo o Boleto Bancário - Comércio Eletrônico

1-Código do Banco
É composto do código do banco mais o dígito verificador.

2-Linha digitável
É a representação numérica do código de barras.
A linha digitável é baseada no valor do código de barras, mas não é o mesmo numero.
Ela serve para o pagamento do boleto via Internet e também é utilizada quando o código de barras está danificado.

3-Vencimento
Data de vencimento do boleto.

4-Agência código cedente
Este campo varia conforme o banco, mas em geral é composto pelo número da carteira, agência, conta e dígito. Dependendo do banco, pode ser: agência+conta ou mesmo carteira+agência+conta. Cada banco tem um padrão.

5-Nosso Número
Este campo também varia conforme o banco, mas você deve dar uma atenção especial a ele, porque quando o boleto é pago, em geral é esse o número que aparece no seu extrato, assim você tem como identificar o boleto pago.
Portanto esse número, deve ser diferente para cada boleto emitido, e não podendo haver duplicidades.
Alguns bancos fornecem uma faixa de números que o cliente pode trabalhar, outros já deixam a critério do cliente.

6- Valor do Documento
Este campo contém o valor do documento, com duas casas decimais e vírgula como separador decimal.

7-Código de Barras
São código de barras, que através de sua espessura representam “0” ou “1” em binário.
No total o código de barras é composto por 44 dígitos numéricos, que representam o valor, data de vencimento, entre outras informações do boleto. A composição e disposição desses números variam de banco pra banco, podendo conter o número da agencia, conta corrente, código do cliente, etc.

8-Carteira
Contem o código da carteira, que está sendo utilizada.
Isto também muda de banco para banco, mais adiante darei detalhes de qual é a mais indicada para pagamentos via Internet e o porquê.

9-Sacado
Sacado é quem paga o boleto.
Este campo contém os dados da pessoa que irá pagar o boleto: nome, endereço, etc..

10- Data do Documento
Data em que o boleto foi gerado ou emitido, no caso de segunda via por Internet.

11- Cedente
Cedente é quem emitiu o boleto.
Este campo contém o nome de quem emitiu o boleto, que em geral é o titular da conta.
Pode ser pessoa física ou jurídica, mas isso depende do banco.

Noções de cobrança bancária

Bom agora que você já conhece os principais campos de um boleto, iremos ter uma pequena noção de cobrança bancária.

O boleto bancário é um dos sistemas mais práticos de cobrança. Funciona da seguinte maneira: o Cedente emite o boleto, e o envia ao Sacado. (Você lembra quem é Sacado e Quem é cedente não é?)

O Sacado pode pagar o boleto utilizando a linha digitável, ou código de barras via homebank , ou mesmo em qualquer agência bancaria, casas lotéricas ou via Internet (bom, a essa altura você deve estar pensando: “isso eu já sei…”).

Você é o Sacado, certo? E irá emitir o boleto para seu cliente pagar, certo?

Mas antes é preciso que você entre em contato com seu banco, e peça para que sua conta esteja habilitada a emitir cobrança via boleto.

O banco tem varias modalidades de cobrança, e emissão de boletos. Eu vou descrever as duas principais e mais utilizadas, e com as quais já trabalhei.

Cobrança Registrada

Quando você emitir seus boletos com cobrança registrada você deve enviar um arquivo de remessa para o banco. Este arquivo de remessa segue um padrão, que não vem ao caso agora. Este arquivo de remessa enviado ao banco serve para registrar os boletos emitidos. Assim, se algum sacado não pagar, o banco pode automaticamente por instrução do cedente, mandar o nome do sacado para protesto, ou mesmo para o cadastro do SPC.

Ou seja, em geral é utilizado quando as empresas querem ter uma segurança maior, de modo que se o cliente não pagar eles tem um meio legal de protestar o sacado e cobrar a dÍvida.

Mais novo golpe está sendo aplicado usando boletos bancários

Cobrança sem Registro

Nessa cobrança você, simplesmente emite o boleto e o envia para o sacado pagar. E não há registro no banco sobre este boleto emitido. O banco só saberá da existência do boleto quando ele for pago.

Carteira

Esta é a cobrança mais indicada para uso na Internet. Se o cliente não pagar, simplesmente o pedido não é enviado.

Agora que você já conhece os dois principais tipos de cobrança, vamos falar sobre o campo “carteira” do boleto.

É justamente este campo, que indica o tipo de cobrança escolhida pelo cedente. Por exemplo, no Unibanco a carteira sem registro é conhecida como “ESPECIAL” e a registrada como “REGISTRADA”. Já no Itaú, a sem registro é conhecida como “174” ou “175” e a registrada como “109” e assim vai…

Existem diversas modalidades de cobrança para boletos, e cada uma tem uma finalidade, vantagens e desvantagens. Descrevi apenas as principais diferenças entre os dois tipos mais comuns, que atendem a maioria dos usuários. E temos mais detalhes sobre elas que não foram abordadas neste artigo, mas o principal você já sabe. Se tiver maiores dúvidas, consulte seu banco. Este sim poderá fornecer mais detalhes sobre os tipos de cobrança.

Taxas cobradas pelos bancos

O banco cobra uma taxa sobre cada boleto pago pelo sacado, que varia entre 1 e 4 Reais (depende do banco). Se a carteira for registrada, o banco também cobra por cada boleto emitido, independente dele ter sido pago ou não. Por isso, a cobrança sem registro é a mais indicada para o uso na Internet.

O banco também leva em consideração o porte do cliente. Assim, um cliente com maior volume de movimentação bancária, tempo de conta, etc., conseguira taxas menores ou até mesmo a isenção de algumas taxas. Portanto, consulte seu banco sobre as taxas cobradas.

Programação de implementação do boleto

Agora que você conhece como funciona o boleto vamos às necessidades técnicas.

Você irá precisar de um script , que gere o boleto para você, no padrão do seu banco. Esse script para geração recebe os dados necessários, processa essas informações e gera o boleto, contendo o código de barras, linha digitável e o nosso número, tudo isso formatado de acordo com as regras estabelecidas pelo seu banco e carteira escolhida.

Esse script gera o boleto para você com base em variáveis que são enviadas para ele via POST, GET ou mesmo de uma base de dados. Isso depende do que você já tem no seu site, e do que pretende implementar.

Pesquisando na internet você encontrará diversos destes scripts e grande parte desles são grátis.

Os principais dados que devem ser enviados ao script são:

– Valor do Boleto, Número do Pedido, Vencimento e Dados do Sacado.

Os outros dados, como por exemplo: o número da sua conta, agência, nome do cedente etc, você já pode deixar pré-configurados, já que estes dados se manterão fixos para todos os boletos gerados no site.

No meu site você encontrará uma rotina em ASP ou PHP, para a geração do código de barras utilizados em boletos bancários padrão 2 of 5. Esta rotina é totalmente grátis.

É claro as informações contidas neste artigo se aplicam a maioria dos bancos, mas é como eu já disse: pode haver pequenas variações de banco para banco.

(*) www.e-vendasBRASIL.com

admin

Você e sua moto! Nós amamos motos!

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *