Cyber-Ativistas Atacam Instituições que se Opuseram ao Autor do Wikileaks

Segundo o PandaLabs,  laboratório anti-malware da Panda Security, o grupo anônimo, SGAE, responsável por uma série de ataques contra as entidades de direitos autorais em todo o mundo no mês passado,  está realizando novos ataques em defesa de Julian Assange, fundador do Wikileaks, cuja prisão foi anunciada nesta terça-feira.  O grupo afirma não possuir nenhuma ligação com o site ou com o autor e diz que o apoia porque ambos defendem os mesmos princípios; a transparência e a anti-censura.

 

Até agora, o PandaLabs registrou três ataques. Os dois primeiros atingiram o PayPal e seu blog, devido á suspensão das doações para o Wikileaks, o que resultou em mais de 8 horas de paralisação total do sistema de pagamento. O terceiro ataque, no entanto, afetou o banco PostFinance.ch por conta do congelamento da conta de Assange, resultando em 11 horas de inatividade.

Por conta destes ataques, os usuários do banco  estão tentando convencer os cyber-ativistas, através do Twitter, a interromperem as ações por, pelo menos, 10 minutos para que possam utilizar os serviços online.

Durante a “batalha”, o site do grupo anônimo tambem foi atacado, ontem (segunda-feira), por DDoS e ficou inativo por algumas horas.

O SGAE planeja seguir apoiando o autor do Wikileaks, atacando qualquer instituição que tentar silenciar ou desencorajar o Wikileaks.  O Twitter já foi ameaçado por supostamente, ter censurado as discussões sobre o assunto, com a tag  #wikileaks. Até agora nenhuma ameaça foi registrada.

De acordo com Eduardo D”Antona Diretor Corporativo de TI da Panda Security Brasil, o PandaLabs está acompanhando a evolução dos ataques e emitirá alertas periódicos para proteger os internautas que estão sujeitos a contaminações pelos sites atacados.  “o resumo atualizado dos ataques pode ser encontrado no blog do PandaLabs ( http://www.pandalabs.com/es), afirma o executivo.

Related posts

Leave a Comment