Carreira: O seu desejo é uma ordem!

Todo mundo conhece a história de Aladim. Um garoto chinês, pobre e sem pai que tentava sobreviver com sua mãe até que um dia encontrou uma lâmpada maravilhosa e assim todos os seus desejos foram realizados.

A lenda de Aladim, do livro “Mil e Uma Noites”, mostra a saga de dois personagens. O generoso e bondoso que nada reclama, mas que preferia agir e o outro-um mágico de poucos escrúpulos. Os dois desejavam a mesma coisa: ter dinheiro, realizar seus desejos e viver confortavelmente. A forma como cada um desejava isso foi o que fez com que Aladim se tornasse o vencedor desta luta, entre o bem e o mal.

Algumas diferenças de sentimento presentes no mágico e em Aladim merecem destaque. Aladim possuía entusiasmo, gratidão, alegria, paixão, esperança, satisfação. Já o mágico guardava ressentimento, ódio, vingança, culpa, inveja, crítica, perseguição e abatimento.

A física quântica afirma que todos nós somos feitos de energia e estudos comprovam até o peso dessa força-21 gramas. Estudos realizados por pesquisadores demonstraram que quando as pessoas morrem, independente do peso que tenham, imediatamente após o passamento, o corpo perde 21 gramas de peso. Imagina-se que seja o peso da alma. Um experimento real, feito em 1907 por um cientista tentava provar que a alma existe e tem peso, o médico americano Duncan MacDougall, de Massachusets, pesou seis pessoas antes e depois de morrerem e constatou que o ponteiro da balança quase sempre caía.

Digamos que estejam certos. Mas o que tem Aladim a ver com física quântica e as pesquisas sobre a alma humana?

Existem várias versões para a lenda de Aladim. Mas em um ponto o gênio da lâmpada dá a senha para que tudo possa acontecer: o desejo. Em algumas versões a lenda fala de três desejos, em outras não há limites de desejos, enfim, uma coisa é certa: o seu desejo, para o gênio, é uma ordem.

A mente humana é tão poderosa e a nossa energia é algo tão desconhecido que muitas teorias foram feitas, mas uma em particular eu costumo levar a sério: Desejar!

Passamos a nossa vida inteira desejando coisas e não desejando outras, mas alguns conseguem vencer e outros não, por que? Na lenda de Aladim isso se mostra de uma maneira mais clara.

Cuidado com o que você pede e deseja e mais cuidado ainda sobre o como pede. Existe uma piada a respeito desta lenda que eu gosto de citar quando em palestras. É mais ou menos assim: Três funcionários de uma multinacional foram almoçar juntos. No caminho alguém chuta uma lata e encontra um gênio que diz a eles que cada um tem direito a um pedido. O primeiro pediu uma ilha, cheia de festas, cerveja e as mais lindas mulheres e dinheiro para a vida toda. O segundo pediu o Caribe, com todos os seus amigos, lindas mulheres, dinheiro pra vida toda e pra família. O gênio realizava os seus desejos com a frase: “O seu desejo é uma ordem.” Chegou a vez do terceiro, que não era ninguém mais que o chefe dos dois. O chefe pediu que queria ser o dono do mundo e que trouxesse aqueles dois de volta pois tinham muito trabalho a fazer. O gênio repetiu:” O seu desejo é uma ordem.” Moral da estória: DEIXE SEU CHEFE FALAR PRIMEIRO!.

Assim como na piada é na vida. A gente deseja as coisas de maneira desorganizada e sem planejamento e ai vira tudo um bagunça. Aqui você deve estar pensando: “Que viagem Sucupira!” Eu digo que não. O que você pensa e sente hoje, cria o seu futuro. Já foi mapeado pela ciência que seus músculos respondem a sua imaginação. Se você imagina jogando em um supercomputador, toda a musculatura se prepara e responde a este estímulo como se jogando estivesse. Sim, pois o músculo é comandado pelo seu cérebro. Pensamentos e sentimentos geram energia e se estamos falando de energia podemos dizer que seus pensamentos e sentimentos criam a sua vida.

Vamos à história ver o que pensavam grandes vultos.

Winston Churchill dizia que “Você cria seu próprio universo enquanto vive”. Martin Luther King Jr. aconselhava a “Subir o primeiro degrau com fé. Você não precisa ver a escada toda, somente o primeiro degrau.” Buda afirmava “que somos o resultado daquilo que pensamos.” Certa vez Graham Bell foi perguntado sobre o que movia a sua persistência, que poder seria esse de conseguir realizar algo incrível, ele disse:” O que é esse poder, não sei dizer. Só sei que existe.” Porém quem mais se atreveu a caminhar por esta seara foi ninguém menos que Albert Einstein ao dizer que”A imaginação é tudo. É a prévia das próximas atrações da vida.” Será que ele estava errado? Em testes de novos medicamentos os cientistas utilizam a pílula com a nova droga e uma de placebo. Os pacientes não sabem se o que estão tomando é remédio ou apenas farinha. Algumas situações interessantes foram relatadas pela ciência e fizeram com que outros cientistas passassem a estudar um outro fenômeno. Algumas pessoas doentes, que tomaram placebo, ficaram melhores inexplicavelmente. A investigação mostrou que é sim possível ocorrer tal fenômeno, só ainda não sabem como dá certo pelo método científico. No Século passado, o casal Kirlian descobriu a kirliangrafia, uma espécie de radiografia da aura humana e com ela a possibilidade de detectar doenças em fase inicial. Acontece que, mesmo descobrindo como mapear, ninguém ainda descobriu o que fazer com isso de forma científica. Sabemos que na Rússia esta técnicafoi também longamente estudada e aprofundada através de muitos cientistas,já que o casal Kirlian redescobriu essa técnica, pois como sabemos o Padre Landell de Moura (brasileiro), já havia demonstrado a existência do Perianto através de experimentos e dispositivos onde conseguia fotografar a aura humana. Notadamente na Rússiaesta técnica foi estudada pelo Dr. Korotkov, criador também de um padrão, e já é aceita como meio de diagnóstico e terapia de algumas enfermidades.

A pergunta que se impõe fazer é porque em nosso país isso ainda não foi feito? – O que falta para o ministério da Saúde implementar e incorporar este novo meio? – Não estudaram ainda suficientemente o assunto? – É uma pena.

Um fato em especial me chamou a atenção. O Vice-Presidente da República do Brasil, JoséAlencar. É impressionante como alguém sobrevive e se recupera de tantas cirurgias. Na avaliação dos médicos o quadro de Alencar, para algumas pessoas, já teria se convertido em óbito. Mas o Vice-Presidente, depois da última cirurgia que durou horas, saiu-se com uma frase que traduz por que ele ainda está vivo: “Eu vivo hoje e sou agradecido por mais este dia e espero que se amanhã eu ainda for útil, eu vou agradecer por poder ajudar as pessoas.” José Alencar não pensa na sua doença, ele pensa em objetivos. A doença, diz ele “é problema dos médicos. Que eles cuidem.” Quando age assim ele confirma o pensamento de Carl Jung quando ela afirmava que “Aquilo que você resiste, só persiste.”

Quando você pergunta a um físico quântico o que criou o mundo ele diz que foi a energia. Para ele o que seria energia? Ela não pode ser criada, destruída, foi, sempre tem sido, é tudo que sempre existiu e sempre vai existir e está se movendo pela forma, para a forma e saindo da forma. Se pensamento é energia, o desejo também o é. Henry Ford definia assim a sua forma canalizar a energia para realizar coisas. Dizia ele que “Pode pensar ‘eu consigo’ ou ‘eu não consigo’. Estará certo em ambos os casos.” Joseph Campbell depurou o pensamento de Ford e disse certa vez que as pessoas deveriam “seguir a sua felicidade e o universo abrirá portas onde só haviam paredes.” Thomas Edison arremata de forma brilhante este sentimento quando disse que as “suas invenções eram fruto de 99% de transpiração e apenas 1% de inspiração.” E o que é a inspiração senão o pensamento, o desejo na forma de uma energia poderosa que nós nem imaginamos o poder que tem? Usamos pouco mais de 12% da nossa capacidade mental. Ainda temos muitos a descobrir sobre nós mesmos.

A luz da idéia, aquela lâmpada que acende na cabeça da gente de vez em quando, representa mais que apenas criatividade. Idéias de nada servem se não forem postas em prática. Quando você tem uma inspiração deve se concentrar nela e agir.

Todos as grandes religiões falam disso. Os livros de filosofia também e os grandes vultos e avatares de várias gerações. Leia sobre eles. Você já deve ter escutado várias vezes a frase ‘pense grande!’, mas em grande parte muitos continuam pensando pequeno e têm pequenos resultados e passam a classe dos que reclamam mais e agem menos.

Talvez por isso muitos estão onde estão agora e, não, onde gostariam. ‘Gostaria de estar’ é bem diferente de ‘desejar estar’. Existem dias nos quais a gente parece acordar com o ‘pé-esquerdo’.Ao sair da cama leva uma topada, o carro enguiça, o chuveiro não funciona, faltou água, a pasta de dentes acabou, o trânsito está terrível, seu chefe é um mala, sua mulher uma chata e a sua vida um inferno. Olha, meu amigo, você tem razão, uma vida dessas é mesmo um inferno. Mas você só vai ficar nele se quiser. Quando meu dia começa assim eu geralmente dou uma parada tática e tento mudar o pensamento. Na maioria das vezes funciona e quando não, ameniza bastante. Nem sempre estarei de bom-humor, mas sempre que o mau-humor aparece eu digo “ops! Não é por ai!” Funciona. Eu aprendi a dizer ‘desculpe’ e ‘obrigado’ de uma forma que isso atraísse para mim coisas boas e principalmente tentar não reclamar.

Certa vez, Seu Lunga (um conhecido personagem cearense, ainda vivo) foi a uma cartomante para ver se ela adivinhava alguma coisa como todo mundo dizia. Em lá chegando bateu na porta e a cartomante perguntou: “Quem é?” Lunga respondeu da forma peculiar a sua personalidade: “- Você lá é cartomante… num adivinha nem quem está batendo na sua porta!” E foi embora.

As pessoas que tentam adivinhar o seu destino procuram as cartomantes e uma pergunta comum é se elas serão felizes. Destino é o resultado da soma das nossas escolhas e as conseqüências inevitáveis que cada decisão que tomamos nos traz. Eu digo que ser feliz é obrigação e é uma conseqüência do ato de desejar sentir-se bem. Portanto, felicidade não é causa, é conseqüência. Se algo não o faz feliz, mude! Não reclame. Isso só atrai coisas ruins.

Procure sentir-se bem. Busque coisas que lhes façam sentir-se bem. No começo é difícil, mas treine que você consegue. Veja os problemas como oportunidades e desafios e, acima de tudo, deseje a você coisas boas. Experimente. Deixe o universo conspirar a seu favor. Pois o seu desejo é uma ordem.

admin

Você e sua moto! Nós amamos motos!

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.