A Web e a Saíra-Sete-Cores

Envelhecer, ao contrário do que muitos pensam, é um privilégio e não um castigo. Na semana que antecede o Dia das Mães eu queria contar a história de uma mulher que é mãe, avó, fotógrafa e que descobriu pela Web uma razão a mais para viver. Márcia Carvalho, através de um novo hobby prova que, está sim, na sua melhor idade.

Márcia mora em um lugar bucólico, em plena Mata Atlântica, no distrito de Penedo que pertence ao município de Itatiaia (RJ) a menos de duas horas de carro da cidade do Rio de Janeiro pela Rodovia Presidente Dutra. Fundada por finlandeses, Penedo preserva a natureza, belas casas, boa comida e uma ótima cultura. Foi neste lugar onde Márcia resolveu morar que ela descobriu, por acaso, um dom que viria a transformar a sua vida. Já aposentada poderia fazer como a maioria das pessoas faz- viajam, caminham e nada mais fazem. Mas ela e outros muitos idosos mostram que é possível viver uma nova vida ao entrar na Melhor Idade. Sozinha em penedo, Márcia comprou um notebook e assinou um serviço de banda larga (bastante limitado na região) para poder trocar emails com a familia e ter alguma distração. Um professor local a ensinava a usar o notebook, tirando as dúvidas mais comuns para quem não nasceu plugada na tecnologia como ela. Aqui um aparte: A expansão da banda larga é fundamental para poder revelar outras ‘Márcias”, sem acesso a Web muito do que foi descoberto por ela talvez nunca viesse a chegar ao nosso conhecimento.

Tive a oportunidade de conhecê-la fotografando pássaros e ficamos, eu e o Paulo Couto, curiosos sobre como tudo isso aconteceu. Márcia nos contou que um belo dia estava em casa e, onde mora existem muitos pássaros. Um grupo de passarinhos muito bonitos sempre pousava em um tronco que fica logo em frente da sua casa. Curiosa resolveu fotografá-los e decidiu descobrir qual espécie era aquela. Foi na web e via Google que acabou encontrando um site dedicado a registrar aves brasileiras chamado www.wikiaves.com.br. Lá descobriu que se tratavam de Saíras-Sete-Cores-um pássaro raro. Neste momento a paixão começou.Cadastrou-se e na comunidade e foi incentivada a continuar a fotografar pássaros. A máquina, dada de presente pelo filho, tinha suas limitações (Zoom de apenas 4x), mas mesmo assim seguiu fotografando.O filho resolveu estimular o hobby da mãe e presenteou-a com uma supermáquina dotada de zoom profissional e tele-objetiva. Mas a máquina era muito pesada e causava dores. Para quem pensa que é fácil fotografar pássaros deve saber que isso exige uma paciência enorme e muita determinação. Tem que entrar na mata, caminhar, procurar, ouvir e achar para, só então, poder encontrar o melhor ângulo para registrá-lo no seu habitat.

Márcia ganhou outra máquina do filho. É uma Sony, bem mais leve e com ela deslanchou. O grupo que antes se restringia a alguns poucos amigos, cresceu e no dia em que conversamos com ela, em um animado almoço na sua linda casa, pudemos conhecer como tudo isso funcionava e qual a relação com a Web. Ricardo, Luiz, Geraldo, Otávio e muitos outros estavam lá para discutir sobre pássaros. No almoço a conversa era constantemente interrompida, pois eles saíam da varanda sempre que um pássaro pousava nas imediações.

O Wikiaves, site que mudou a vida de Márcia, começou em 2008, possui mais de três mil inscritos e milhares de fotografias de pássaros feitas por pessoas de várias idades-desde adolescentes até os jovens de espírito da Melhor Idade. A ideia principal do site é fotografar as aves em seu habitat natural. Tem que ser tudo como é na natureza. As fotos seguem para classificação onde são identificadas, publicadas e assim recebem votação (1 a 5) e comentários.Os observadores, como são chamados os ‘wikiaves users’, contribuem para o WikiAves adicionando informações relativas à mídias publicadas. Espécie da Ave; Sexo da Ave; Idade da Ave; Data da fotografia/gravação; Cidade da fotografia/gravação; Assunto da Foto (O que tem na foto); Ação da Ave (A foto mostra a ave fazendo – ), etc. Apenas a Data e a Cidade da fotografia/gravação são informações obrigatórias. Porém fotos sem espécie informada serão consideradas como ‘NÃO-IDENTIFICADAS’ e recebem menos votos e perdem destaque na classificação.

O WikiAves foi criado por Reinaldo Guedes, webmaster e analista de sistemas, em dezembro de 2008, com o objetivo de apoiar a comunidade online de biólogos e observadores de aves do Brasil. O site que também possui versão em inglês,fornece ferramentas interativas que permitem promover a busca pelo conhecimento, a comunicação entre usuários, a divulgação de informações sobre as aves brasileiras com foco na preservação e a formação colaborativa do maior banco de dados sobre aves do Brasil na Internet. O foco é organizar o conteúdo fornecido pelos observadores e transformá-lo em informações úteis e de fácil acesso para usuários leigos, avançados e profissionais. Para isto, o site foi dividido em duas áreas: a área de wiki, onde todos os usuários podem incluir e alterar o conteúdo das páginas, e a área de mídia, onde os usuários cadastrados podem enviar fotos e sons (mídias). Depois que as mídias são adicionadas e avaliadas pelos observadores, as melhores mídias passam a ilustrar as páginas wiki das espécies e dos táxons correspondentes às aves das mídias adicionadas. Táxon (plural taxa, em latim, ou táxons, aportuguesado) é uma unidade taxonômica, essencialmente associada a um sistema de classificação científica. Táxons (ou taxa) podem estar em qualquer nível de um sistema de classificação: um reino é um táxon, assim como um gênero é um táxon, assim também como uma espécie também é um táxon ou qualquer outra unidade de um sistema de classificação dos seres vivos. O táxon é o objeto de estudo da Taxonomia, que visa individualizar e descrever cada táxon, seja de que nível taxonômico for, e da Sistemática, que visa organizá-los nos diferentes sistemas de classificação.

Os destaques são categorizados e as fotos separadas das feitas por profissionais ou com equipamento profissional, daquelas produzidas com material amador. Cada observador cadastrado possui seu próprio álbum. Infelizmente, sendo um site aberto onde qualquer um pode se cadastrar, mesmo que não faça fotos (o que é sem graça) existem aqueles ‘espíritos-de-porco’ que vão lá postar comentários ao estilo troll de ser-defendendo pássaros na gaiola dentre outras coisas. Neste caso são banidos. Para os observadores pássaros presos não cantam, lamentam.Como podem também colher o áudio do canto dos pássaros o Wikiaves contribui ainda para formar um gigantesco banco de dados sobre nossas aves, pois cada espécie e táxon possui a sua página com informações de registro e científicas obtidas das Listas de Aves do Brasil do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico) tais como: nome científico, nome em português, nome em inglês, status e classificação científica. A página como editar documentos auxilia os usuários sobre como proceder na edição e criação de páginas wiki. Cada observador possui seu próprio álbum.

Para os outros observadores o site também mudou suas vidas. Ricardo é cearense, acabou ficando em Penedo e descobriu o prazer de ser um observador de pássaros. Ele recentemente havia passado três dias na Serra da Canastra fotografando aves.Luiz Ribenboim é observador há quatro anos e já possui vários trabalhos publicados em defesa das aves. No seu periódico ‘O OBSERVADOR’ ele destaca que a “nossa proposta é chamar a atenção do público para campos, banhados, matas e parques que cercam as nossas cidades”.Ao mostrarem a avifauna dessas regiões, acreditam os observadores, que as pessoas passarão a “admirar e a se orgulharem desses pequenos tesouros alados, que fazem parte dos extraordinários recursos naturais do nosso Brasil”. O movimento cresce e em breve estará sendo fundado o COA-Sul, RJ-Clube de Observadores de Aves do Sul Fluminense que terá como objetivo a disseminação do conhecimento sobre as aves do sul do Estado do Rio, através de palestras, passeios, mostras fotográficas e outras atividades relacionadas ao tema. Alguns observadores levam muito a sério obter a melhor fotografia. Alguns cuidam tão bem da sua camuflagem que chegam a ficar muito parecidos com os snipers do game ‘Call of Duty’, só que a arma deles é uma câmera. Otávio fazia caminhadas e passeios de bike em trilhas. Nunca tinha se apercebido do prazer que era observar aves. Hoje continua a sair de bike e a caminhar em trilhas, só que dessa vez, depois de ter treinado bem a visão e educado o ouvido, leva a sua câmera e ao menor som de uma ave para e tira uma foto.

Essa coisa pega e é divertida. Enquanto o Paulo conversava com os convidados da Márcia-todos observadores-eu não me contive fui tentar fotografar um beija-flor. Sem a devida técnica (sim, pois tem técnica para fotografar pássaros) minha foto ficou “a ver pássaros”, a tal ponto que nem ouso publicar aqui. Não depois de ver como analisam as fotos. Eu me empolguei tanto que se o Paulo Couto não me chama de volta para ajudá-lo nas anotações eu confesso que teria entrado na mata atrás do melhor ângulo daquele beija-flor. Quando a minha máquina nova chegar eu vou por a minha roupa Call-of-Duty e exercitar a minha paciência e quem sabe trazer boas fotos. Prometo não publicá-las aqui, a não ser que eu encontre um pássaro movido a um nano-chip-mega-master-blaster.com.br e com SO livre e inteligência artificial. Caso contrário, vão pro wikiaves. Antes o meu wallpaper era uma Harley, hoje é a foto da Márcia das Saíras-Sete-Cores.

O Wikiaves é realmente fascinante. Você não verá seus observadores envolvidos em protestos de rua, em campanhas radicais (ao estilo Greenpeace) e muito menos com aquele discurso de ecochatos, mas perceberá que eles promovem uma revolução silenciosa embalada pelo canto dos pássaros e assim seguem contaminando aqueles que descobrem como pode ser maravilhoso lançar um novo olhar sobre a natureza usando a tecnologia, a Web e os fóruns. É encantador ver a dedicação de todos e a perseverança em viajar, custeando suas próprias despesas, apenas para registrar pássaros e dessa forma protegê-los. Você talvez veja cartazes e panfletos afixados em lugares públicos ou em restaurantes mostrando as belezas dessas aves sem nenhuma chamada para preservação. É natural, indireto e ao mesmo tempo toca fundo na sua percepção de mundo e na cultura preservacionista. O simples ato de clicar, gravar um canto e publicá-los nos provoca a reflexão e joga sobre nós a responsabilidade de tentar entender por que determinadas áreas e árvores devem ser preservadas. Uma árvore que some, uma mata que foi destruída pode fazer com que nunca mais vejamos belas aves e o pior-percamos o som maravilhoso do seu canto.

O clique que virou foto e que acabou no site mudou a vida de Márcia para sempre e sem nenhuma pretensão gera, indiretamente, uma cultura preservacionista consequente. No momento do fechamento dessa coluna, a principal executiva de uma fábrica de chocolates de Resende (RJ) decidiu trocar as paisagens impressas nas suas embalagens por fotos de pássaros da região.

O melhor disso tudo é que esse poderá ser um presente para duas mães-a Mãe Natureza e a Mãe Márcia que poderá ter suas fotos a enfeitarem as caixas dos deliciosos chocolates vendidos em Penedo, RJ. As conversações já se iniciaram. Se tudo der certo, Márcia poderá, na sua melhor idade, estar realizando talvez a obra de toda uma vida.

Serviço:

Acesse para saber mais – www.wikiaves.com.br Fotos produzidas por Márcia Carvalho – Fotos site- www.wikiaves.com.br Fotos-Paulo Couto e Márcia Carvalho

Colaboração-Paulo Couto

Para me acompanhar no Facebook – Luis Sucupira Para me seguir no Twitter – Siga o Fórum PCs no Twitter –

Related posts

0 Thoughts to “A Web e a Saíra-Sete-Cores”

  1. […] Continue lendo no Fórum PCs. -22.448268 -44.524069 […]

Leave a Comment