Testando um capacete ROVCAN – Minhas impressões

Do virtual para o real. Esta é a frase que resumiria muito bem o que foi o I Encontro Nacional de Motonliners. Pudemos conhecer pessoalmente muitas pessoas que nós só conhecíamos através do mundo virtual. Foi uma bela festa de confraternização, troca de conhecimento e uma ótima oportunidade para testar equipamentos.

Testando um capacete ROVCAN

A Rovcan ofertou capacetes para a equipe Motonline e outras três peças para serem sorteadas. Eu escolhi o modelo RV210 por se tratar de um capacete articulado ou basculante, como queiram. O capacete tamanho M = 58cm, tem forração removível e lavável, fecho de engate rápido micrométrico, queixeira basculante com botão de acionamento único, nuqueira, viseira antirrisco com tratamento e de acionamento fácil com 4 estágios. A pintura é feita com tratamento UV e o sistema de ventilação e aeração é bem eficiente principalmente para evitar embaçamento da viseira. O RV 210 vem ainda com defletor anti embaçante e bavete (proteção que fica logo abaixo da queixeira do capacete). Internamente ele traz uma viseira dupla em tom fumê escamoteável no forro do capacete e é forrado em tecido antiodor.

O teste foi bem ao estilo consumidor. Pegar e usar.

O teste foi bem ao estilo consumidor. Pegar e usar. Assim que recebi o capacete já fui usando. Tirei da caixa, dei uma rápida olhada para ver os recursos e retirei plásticos e etiquetas. Foi por na cabeça e cair na estrada. O RV210 vestiu bem e em nenhum momento gerou qualquer desconforto. O interessante foi que nesta viagem todos os recursos do capacete foram testados tanto em calor, frio, garoa e sujeira jogada pelos pneus dos caminhões.

O capacete me surpreendeu pelo projeto.

O capacete me surpreendeu pelo projeto, pois é bastante semelhante ao Nolan de três anos atrás com algumas boas modificações que deixaram o Nolan um pouquinho atrás (mesmo com três anos de uso). Uma delas trata-se da viseira interna em acrílico fumê. Ela permite dispensar óculos escuros e é ótima para quem usa óculos de grau como eu. Em situações onde há uma forte contra-luz, principalmente no por do sol ela se mostrou eficiente. Em relação ao meu Nolan a viseira externa desse modelo acaba arranhando a viseira cristal, o que não acontece no RV 210 que é interna e embutida, facilmente acionada por um botão lateral na parte externa do capacete. A abertura do capacete possui uma trava de segurança de dois estágios que evita aberturas acidentais. O sistema de entrada de ar via ventilação forçada, parece um cinzeiro, mas ele, na realidade, funciona como um interessante exaustor que retira o ar quente de dentro do capacete eliminando rapidamente qualquer embaçamento. E por falar em embaçamento o desempenho do RV210 em relação ao meu Nolan foi superior principalmente no frio de Curitiba e parado em semáforo. O nível de ruído interno é baixo e semelhante ao meu Nolan e em situações de turbulência comportou-se muito bem. Um pouco abaixo apenas do resultado percebido quando uso o Nolan.

Ooportunidade de ter nas mãos os dois capacetes e verificar pessoalmente as diferenças de cada um.

Quem teve a oportunidade de assistir a minha breve palestra ou review ao vivo dos dois capacetes lá no encontro teve a oportunidade de ter nas mãos os dois capacetes e verificar pessoalmente as diferenças entre eles. Na volta troquei de capacete com a minha Maria e ela pode testar o RV210 em comparação ao LS2 que usa e segundo ela a experiência foi ótima. Eu usei o Nolan e confirmei todas as observações que havia feito em relação ao RV210 quando no trecho de ida a Curitiba.

O pessoal participou

Como eu falei na palestra que dei de improviso no encontro, eu não analiso marcas, mas os projetos e materiais. Nesse caso fiz um comparativo com os materiais e os projetos de ambos os capacetes que uso. Mesmo considerando que o projeto do meu Nolan é de três anos atrás, o ROVCAN me surpreendeu positivamente, chegando a tirar alguns pontos do Nolan – claro respeitando o fato de que o RV210 é atualizado em relação ao Nolan no que se refere a segurança e novos recursos. O preço sugerido para o RV210 é de R$ 600,00.

Um detalhe importante que não havia citado ainda é que o ROVCAN pode ser usado aberto com a viseira abaixada, pois nesse modelo ela é homologado pela Lei e não dá multa.

Imagens: Repórter Cidadão


Postagens Relacionadas

0 Thoughts to “Testando um capacete ROVCAN – Minhas impressões”

  1. Luis, você que tem contato com a ROVCAN, existe a possibilidade de fazermos a demonstração deste capacete para motociclistas em minha região com o apoio da empresa? Mandei uma proposta, mas nao responderam. Se puder dar uma força agradeço

    1. Me passa por email seus contatos que eu já vou adiantando aqui com o Bruuno. Pode ser? email – mrsucupira3@gmail.com

  2. Excelente matéria, além de muito didática, sua importância é extrema para milhares de motociclistas no Brasil

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Amauri Zanforlim, Luis Sucupira. Luis Sucupira said: @oseunegocio ROVCAN – veja o link do teste que fiz. http://bit.ly/hVHjji Inclusive inseri sua imagem com créditos. […]

  4. […] This post was mentioned on Twitter by Luis Sucupira, Luis Sucupira. Luis Sucupira said: Testando um capacete ROVCAN – Minhas impressões – http://migre.me/1Udzm […]

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.