DESTAQUES Teste de Motos 

FAZER 150 e ALARME NEW SHOCK 2015 – Primeiras Impressões

pq2Antes de comprar uma moto de 150 cilindradas eu recomendo que invista um tempo em testes drives para conhecer a moto de forma mais detalhada para pode decidir. Você poderá ter boas surpresas. A Yamaha Fazer é uma dessas surpresas. O modelo testado veio com a nova versão do alarme presencial da New Shock recomendado pela Associação Brasileira de Concessionárias Yamaha – ABRACY por não ter que cortar o chicote original para a sua instalação.

Primeiro vamos falar da moto. Depois do alarme e por último sobre o conjunto. Vamos às primeiras impressões.

Um novo projeto que agrada aos olhos

pq4A Fazer é uma moto bonita, que chama a atenção. As rodas de liga leve, o visual jovem e esportivo, o painel completo vão encantar você no primeiro contato. De cara não parece uma motocicleta de 150 cc. Parece ser bem maior. Apesar de ser o mesmo motor da Crosser é um novo projeto. É impulsionada por um propulsor SOHC monocilíndrico de 149 cm³, resfriado a ar e flex. São 12,2 cv de potência a 7.500 rpm, e 1,28 kgfm de torque a 5.500 giros seja álcool ou gasolina. A embreagem é leve e o engate das machas é rápido e preciso.

A arrancada e torque são bons a ponto de reduzir as trocas constantes de marcha. O novo motor reduziu as vibrações mesmo em velocidades mais altas.

Quando abastecida apenas com etanol e em dias mais úmidos ou chuvosos demora um pouco mais para dar a partida se o motor estiver frio. A Yamaha recomenda que os proprietários deixem pelo menos 20% de gasolina no tanque. Ou seja- abasteça 20% de gasolina e o restante de álcool. Em boa parte do Nordeste este problema não será percebido, principalmente no sertão.

Ciclística e Suspensão

Senti falta de uns botões que geralmente ficam neste punho tipo corta-corrente
Senti falta de uns botões que geralmente ficam neste punho tipo corta-corrente

O guidão curto permite que você manobre sem grandes dificuldades. A suspensão vem regulada para asfalto bom. Se você vai usar a moto em terreno irregular vale ajustar a pré-carga da mola para 95 kg. Mas seria interessante a Yamaha elevar o curso da mesma forma como fez com a Crosser e assim ganhar um melhor conforto.

Consumo 

Com etanol, a Fazer SED registrou média de 29,1 km/l na cidade, enquanto que, com gasolina, o consumo chegou a 38,6 km/l. A Fazer vem nas cores branca, laranja e azul (versão SED), ou preta e vermelha (versão ED). Na versão básica, somente o tanque é pintado e o resto é injetado em plástico preto. O acabamento do assento é mais simples e a lente dos piscas é âmbar (cristal na SED). Só na versão top o cavalete central é de série e a mola dos amortecedores traseiros é vermelha.  Senti falta do lampejador do farol, do corta-corrente e do freio a disco na roda traseira. A espuma do assento poderia ser mais grossa.

Painel completo

pq7A Yamaha acertou no painel e para ser o mais completo da categoria só faltou o relógio. Para uma moto que é usada no serviço de motofrete, a hora é um item quase que obrigatório que evita tirar os olhos da pista conferindo no relógio ou no celular. O conta-giros analógico e o indicador de marcha agradam.

Ela enfrentou o quarto pior trânsito do Brasil (pior que o de São Paulo) – Fortaleza –  com facilidade. Na chuva, no calçamento, no asfalto enfim saiu-se bem pela boa resposta e facilidade de andar entre os carros. Na estrada, em quinta marcha, a 100 km/h, o conta-giros indica 7.000 rpm e boas respostas, acima disso a moto já deixa claro que a sua vocação é para uso urbano. Não só a Fazer 150 mais todas as 150 de qualquer marca.

pq5A máxima é de 120 km/h a 8.000 rpm. A velocidade máxima real é de 123 km/h (GPS) ou 137 km/h no painel. O chassi tem boa resposta e faz jus ao projeto permitindo curvas com ótima estabilidade. O freio dianteiro tem boa resposta. Já o traseiro, a tambor deixa a desejar, mas usado em conjunto tem boa resposta.

Conclusão

A Fazer 150 oferece ótimo custo-benefício que convence quem a pilota. Se o asfalto é a sua praia ela será uma boa escolha. Agora se seu uso será misto – on/off – recomendo a Crosser 150 que vem com suspensões e pneus mais adequados a tais pisos.
FICHA TÉCNICA – YAMAHA YS150 FAZER
+ Preço: R$ 7.390 (versão ED) e R$ 7.890 (versão SED)
+ Motor: monocilíndrico, 149 cm³, refrigeração a ar e flex
+ Potência: 12,2 cv a 7.500 rpm
+ Torque: 1,28 kgfm a 5.500 rpm
+ Câmbio: cinco marchas
+ Alimentação: injeção eletrônica
+ Dimensões: 2.015 x 735 mm x 1.085 mm
+ Peso: 119 kg (a seco)
+ Tanque: 15,2 litros

 

O Alarme New Shock – agora à prova d’água

ns1O alarme da New Shock é produzido pela Make Safe Tecnologia em São Paulo e vendido em todo Brasil. Tive contato com os alarmes há uns 5 anos. Dois anos depois passei a ser usuário e de lá para cá não troquei mais de alarme por várias razões. Resistência, não apresenta defeitos, a bateria dura bastante, discreto e possui uma excelente eficiência. Além disso, o New Shock não descarrega a bateria da moto, pois hiberna quando não está em uso e isso acontece dois minutos depois que a moto é parada.

ns2O funcionamento é simples e inteligente. O sistema se desliga dois minutos após a moto ser desligada e parada. Se não for movimentada a moto o alarme se desliga automaticamente. Basta um leve toque para que o mesmo busque o sensor do alarme. Se não encontrar ele irá alarmar e em seguida cortar a ignição. E o som do alarme é bem alto. Alto, não. É bem escandaloso.

Se você é daqueles que valoriza tudo que é importado, o alarme da Make Safe usa o mesmo princípio e boa parte da tecnologia utilizada pela Harley-Davidson.

DSC_5374pqNa versão testada duas boas novidades. A primeira trata-se de ser ainda mais resistente a água! Tanto a sirene como o chaveiro são bem resistentes. E eu não dei folga no teste que fiz. A sirene foi inundada de água direto nela e ainda assim funcionou sem problemas. Já o sensor do alarme (chaveiro) ficou debaixo d’água o tempo que eu levei para aguar o meu jardim. Depois provoquei a moto e ela alarmou e ao aproximar o alarme ainda molhado o mesmo desativou o alarme.

Nova embalagem
Nova embalagem

Outro teste feito foi deixar a moto desligada por sete dias. Em alarmes comuns de marcas até mais famosas este pequeno intervalo me custaria uma pequena ou profunda descarga na bateria. No caso do New Shock foi abrir a chave e pressionar o start e a moto pegou de prima sem problemas.

A outra grande vantagem desse alarme é possuir um chicote dedicado para a maioria dos modelos de motos. No caso das motos da Yamaha a certeza de ter um chicote específico para a sua moto é total. Isso evita que o chicote seja cortado e assim perca a garantia da moto. Além disso, o tempo de instalação é um terço do que se leva na instalação que envolve corte de fios. A o alarme vem ainda sem nova e bela embalagem.

Do jeito que as coisas andam o seguro é importante, mas sua moto parada ninguém leva e se levar não irá muito longe.

 AGRADECIMENTOS: Crasa Motos e New Shock

Postagens Relacionadas

Leave a Comment