O que vender nas férias?

Essa pergunta me foi feita por um amigo que sabia que toda vez que chegava julho uma grande interrogação aparecia na sua frente. Fui dar uma analisada melhor no assunto e sugerimos algumas coisas interessantes.

A primeira coisa importante antes de arriscar uma opinião foi saber sobre hábitos e preferências do lugar onde o negócio está instalado. Descobriu-se, por exemplo, que havia pacotes tentadores para viagens ao exterior por conta do dólar baixo e que muitos dos nossos clientes potenciais estavam listados em pacotes desse tipo para passar de 5 dias a 15 dias viajando. Para esses realizou ligações falando das programações de compra antecipada, tipo: compre agora, viaje e pague depois. O desconto para a compra nos primeiros dias de julho era tentador e valia a pena antecipar os pedidos.

Em um segundo momento ele decidiu não ficar no lugar comum da efeméride ‘férias’ e partiu para os festivais de combos e de notebooks. Assim nasceu o ‘Queima de Notebooks’ e um programa especial realizado pelo corporativo para vender notes a preços baixíssimos para funcionários de empresas que não entraram em férias. Os preços eram imbatíveis se comparados ao preço em loja. As vendas foram um sucesso. Na ação foram oferecidos R$ 200,00 em vale-compras para o cliente adquirir o que quisesse dentro da loja caso adquirisse notebook de uma certa marca. Foi um outro sucesso! Ficou anotada a sugestão de julho ser o mês do festival da tendência de mercado do ano.

Mas era necessária mais alguma coisa. Suprimentos. Neste campo o foco foram cartuchos, programas de recargas e papel. Principalmente para escolas. Os prazos foram elastecidos para valorizar um mês teoricamente voltado para a preguiça.Mas as férias estavam ai e ainda tínha as crianças. Uma campanha para venda de novos jogos e para a venda de consoles é outra ação. O objetivo era conseguir trazer os pais que não viajaram e que estavam por aqui.

A nossa cidade possui grande fluxo de turistas e muitas pessoas usam taxi, empresas aumentam suas entregas etc. Para ajudar a resolver esse problema e faturar ‘um a mais’ trabalhamos a venda de GPS. O preço caiu bastante, com mais uma argumentação de “economize R$ 400,00″ e, ainda, a opção de dividir em dez parcelas para uma campanha chamada ‘Você se acha!”

Estamos chegando a agosto e com ele as olimpíadas. Excelente mês para vender projetores multimídia. O foco: bares e restaurantes. A campanha: “a vitória é por milésimos e você assiste em tamanho real.”

O mês, que para todos estava ruim, para ele foi bom. Quebrou aquela imagem de ‘gente na praia sem fazer nada’ por uma imagem de ‘gente na praia fazendo alguma coisa e utilizando a tecnologia para lazer ou mesmo trabalho’. O resultado disso é ter vendido até o dia 15 a mesma quantidade de notebooks vendidos em todo mês de junho. Mês esse que foi considerado bom e ao mesmo tempo estranho em vendas. Um fato interessante aconteceu: apesar do tráfego nas lojas ter diminuído, o número de autenticações em relação ao número de pessoas em loja aumentou consideravelmente, principalmente por telefone. Reforçou a entrega para atender aos pedidos via telefone e pela primeira vez o site teve pouco movimento, mas ainda assim vendeu bem.

O meu amigo estava bem feliz com o resultado e entendeu que não é o mês que faz a venda acontecer. É o contrário. É o vendedor que faz o mês acontecer. Em qualquer situação sempre existirá alguém que está indo na onda contrária e nesse caso a onda eram as férias. Pela estratégia adotada dava para aproveitar parte da onda das férias e focar forte na contramão daqueles que não entraram de férias.

O mais trabalhoso foi identificar e modificar toda a abordagem e ainda mexer no mix. Abandonou os acessórios e corajosamente tomou a decisão de focar em objetos de maior valor agregado e nos prazos. Assim as pessoas poderiam entrar tranquilamente de férias que as suas compras já haviam sido realizadas.

Os iPhones que chegarão aqui em setembro a preços tão tentadores que eu mesmo já anunciei meu celular pra poder pegar um. Lógico, meu nome já está na lista.

Acabou o mês, mas já deu pra perceber que julho de 2008 entrou para a história do meu amigo por descobrir como lucrar mais em um mês esquisito em vendas para a área de informática.

Bom retorno, ótimas compras e excelentes vendas!

Postagens Relacionadas

Leave a Comment