Nova Versys 1000 cresce e aparece

Nova Versys 1000 cresce e aparece

André Jordão

A Kawasaki deu grande destaque à Versys 1000 no Salão de Milão 2011 — bigtrail da marca verde que chega com novo motor. “Evolução” da Versys 650, a nova bigtrail da casa de Akashi chega agora, à Europa, para disputar esse segmento que cresce a cada dia. Dentre suas concorrentes, que vão da famosa BMW R 1200 GS, até a recém lançada Honda Crosstourer, todas oferecem algo a mais.

Suspensão eletrônica, controle de tração, os eficientes freios dotados de ABS, enfim, as fabricantes fazem de tudo para confortar o piloto e se destacar dentro as big trails. Mas o que a nova Versys tem para oferecer e ganhar espaço neste crescente nicho?

Para começar a responder essa pergunta, a Kawasaki equipou sua nova versão da Versys com um motor de 1.043 cm³ e quatro cilindros, tudo para deixar a nova moto mais potente em todas as faixas do motor — principalmente em baixas e médias rotações. Junto com o novo propulsor, veio o som inigualável dos quatro cilindros em linha, o que já a diferencia e muito da versão de 650 cc e dois cilindros. Além de fazer da Versys 1000 uma opção única no mercado, já que só ela tem quatro cilindros em linha, o modelo é um prato cheio pra quem é fã desta arquitetura mecânica.

Novidades
Sem dúvida a grande novidade da Versys 1000 é seu novo propulsor “emprestado” da naked Z 1000. Com 1.043 cm³, refrigeração líquida, DOHC, 16 válvulas e quatro cilindros em linha, a Versys 1000 entrega 118 cavalos de potência a 9.000 rpm e 10,4 kgf.m a 7.700 rpm.

Toda essa potência pode ser amansada se o piloto selecionar o modo Low Power (baixa potência). Optando por este mapeamento, o condutor terá apenas 75% do motor a sua disposição — também há a opção de Full Power, onde toda a potência está disponível para o piloto.

Para auxiliar quem está na dúvida ou tem medo de andar com os 118 cv disponíveis ao abrir o acelerador, a Kawasaki também equipou a Versys 1000 com controle de tração — o mesmo desenvolvido para a sportouring ZX-14R. Batizado de KTRC, o sistema oferece três modos de intrusão na pilotagem. Sendo o número 1, menos invasivo, e o 3 mais atuante. O piloto ainda pode desligar o sistema se preferir.

Ciclística
Complementando as novidades mecânicas, aparecem as soluções ciclísticas para a nova Versys 1000. O garfo dianteiro tem 43 mm de diâmetro e é totalmente ajustável. Segundo a marca verde, o diâmetro maior do tubo permite que a suspensão dianteira trabalhe com mais precisão.

O conjunto traseiro não fica atrás. A balança recebeu um monoamortecedor que também pode ser ajustável ao alcance das mãos. Detalhes que fazem grande diferença em uma moto própria para encarar viagens.

Sem novidade, mas mantendo a coerência com todo o conjunto ciclístico, os freios devem ser suficientes para frear a Versys 1000. São dois discos de 300 mm com pinça de quatro pistões na frente e um disco simples de 250 mm com pinça de pistão único atrás. Com o auxílio do sistema ABS de série, a nova 1000 cc da Kawasaki parece, nos números, ser diversão garantida — as rodas de 17 polegadas são de liga leve e tem seis raios.

Atributos de uma Big trail
Montada sobre um chassi (berço duplo) de alumínio, com um guidão confortável e um parabrisa facilmente regulável, a Versys 1000 começa a mostrar seus atributos para ir além. Os pneus também ajudam e neste modelo os escolhidos foram os Scorpion Trail, da Pirelli. Com eles, o piloto tem a dinâmica de trafegar no asfalto ou até mesmo encarar uma terra, pois os calçados são de uso misto.

As carenagens laterais que acompanham o tanque de combustível, com capacidade para 21 litros, estão mais robustas se comparadas às da Versys 650, e isso garante um menor contato do piloto com o vento. Somados à nova espuma do banco em dois níveis, praticamente duas vezes mais confortável que a Z1000, e o desenho esquio do banco, o piloto e garupa estarão credenciados a viajarem milhares de quilômetros.

Até porque as bagagens podem ir bem acomodadas na lateral da moto. Sob a garupa há uma robusta estrutura de aço capaz de suportar 220 kg, ideal para transportar dois passageiros e bagagem (instalação de malas laterais). A Versys também tem um bagageiro que pode receber um bauleto de até 6 kg.

Concorrente de respeito
Com um painel completo, que traz todas as informações necessárias para uma grande viagem, a Versys ainda disponibiliza uma tela de LCD com informações extras, como o nível de consumo médio a atual, por exemplo.
E respondendo se a nova Versys tem o que precisa para concorrer com estilo no segmento bigtrail, as especificações, ao menos no papel, a credenciam para disputar a preferência dos motociclistas aventureiros. As concorrentes estão a todo o vapor, das japonesas as européias, mas a Kawasaki conseguiu unir na Versys 1000 todas as qualidades que fazem das bigtrail um segmento de sucesso.

Fotos: Divulgação

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.