NÃO FUNCIONA? 3G dispara reclamações contra telefonia.

João Ricardo comprou o seu 3G na esperança de poder acessar a internet em banda larga de qualquer lugar. A compra foi realizada junto com o notebook. Mas o que deveria ser motivo de alegria, mobilidade e custo-benefício transformou-se em um grande pesadelo que acabou em queixa contra a operadora no Decon. A causa se arrasta por mais uns dias, mas já se sabe que receberá o dinheiro de volta. Porém, mesmo assim, Ricardo não terá quitada a frustração de ter adquirido um serviço que não funciona e custa caro!

Metade das broncas dos consumidores registrada no site Reclame Aqui contra empresas de telefonia celular está relacionada à tecnologia 3G.

A dita e anunciada tecnologia 3G chegou para revolucionar o modo como as pessoas utilizam o celular para se comunicar. Com uma velocidade 15 vezes maior que a atual, o usuário pode assistir vídeos, baixar músicas, acessar a Internet e até conversar vendo a pessoa do outro lado quase da mesma forma que acontece na banda larga fixa.

No entanto, para muitos consumidores que compraram a idéia, os benefícios não passaram de promessa ou propaganda enganosa.

Dados do site ‘Reclame Aqui’ mostram que desde que o 3G começou a ser vendido em algumas cidades do Brasil, a tecnologia passou a ser responsável por 48% das broncas contras as operadoras. Na maioria dos casos, os usuários acusam as empresas de propaganda enganosa, pois, mesmo tendo os aparelhos compatíveis e estarem nas áreas cobertas pelo serviço, vários serviços não funcionam e a velocidade de conexão chega a ser mais lenta que a tecnologia GPRS.

A justificativa das operadoras está no fato de ‘ser muito nova e ainda estar passando por ajustes’. Então para que vender algo que não funciona corretamente? Nenhuma empresa tem o direito de fazer seus clientes de cobaia e ainda cobrar o valor total de um serviço que não funciona como o prometido, nem em parte e nem no todo.

É brincadeira… Chama a ANATEL!

Alguns consumidores que postaram broncas nas últimas semanas relatam que os próprios atendentes das empresas justificam os problemas por conta da tecnologia ser muito recente e que os técnicos ainda estão fazendo ajustes. O problema é que a conta é passada integralmente para o cliente, sem qualquer ajuste para menos.

Pela Lei do Consumidor é obrigatório um desconto proporcional aos problemas causados ao usuário e em último caso a devolução do dinheiro.

A consultora jurídica do Reclame Aqui, Jane Resina, especialista em Direito Eletrônico, explica que o consumidor tem todo direito de não só cancelar, como também ter seu dinheiro de volta quando o serviço contratado não condiz com o prometido. “Problemas como esses acontecem com freqüência durante a implantação de vários serviços, como internet banda larga, TV por assinatura, novas tecnologias de telefonia, entre outros. O consumidor que se sentir lesado, pode entrar com uma ação individual ou conjunta requerendo o reparo do serviço ou devolução do valor cobrado. Nem é preciso provar que o serviço não funciona; quem precisa apresentar as provas é a empresa de telefonia”, complementa.

Para fugir desse problema e preservar a minha paciência, contratei o TIM WEB MÓVEL. A conexão é bem lenta, mas me atende nas tarefas que executo nos lugares onde não é possível acessar a internet, pois não requerem uma banda tão larga. Porém, solicitei a troca e a empresa responsável foi muito honesta comigo. A Baydenet informou que a troca pelo 3G Claro demoraria um pouco mais pois, o serviço ainda ‘não estava confiável’ e eles não arriscariam fornecer algo que não funcionasse corretamente. Assim continuo com meu TIM WEB MÓVEL (apenas para emergências), lento, mas não cai e conecto em qualquer lugar sem fio e sem telefone. Prefiro aguardar mais um pouco. Enquanto isso eu testo gratuitamente (o serviço que contratei não cobre 3G e por enquanto podemos acessar e conferir a velocidade do serviço da TIM ainda em implantação e ajustes) os pontos onde a TIM já implantou o sistema dela e, onde funciona, o 3G roda até bem e não cai. Mas arriscar minha paciência, meu dinheirinho e meu tempo em uma tecnologia ainda não ajustada… Isto fica para depois.

Fica a dica: Se o 3G que contratou não funciona como prometido devolva-o e solicite reparação. É um direito seu! Esses fracassos de estratégias de marketing que não respeitam o amadurecimento das tecnologias e consequentemente o consumidor, servem para dar duras lições naqueles que resolvem apressar o andor e acabam quebrando o santo de barro.

Quando as operadoras vão deixar de fazer lambanças e passarem a respeitar os consumidores? Quando a Anatel irá posicionar-se a respeito de mais esse descaso?

Quosque tandem abutere patientia nostra?

Tradução: Até quando vão abusar da nossa paciência?

Para reclamar: www.reclameaqui.com.br

Postagens Relacionadas

Leave a Comment