Intel: Brasil será 3º mercado do mundo em 2010

Previsões apontam que o Brasil se tornará o terceiro maior mercado do mundo de PCs até 2010. No México, a pesquisa apontou que 31% dos lares possuem pelo menos um computador enquanto que no Chile esse percentual sobe para 63,3%. Sobre o acesso à Internet o país com maior índice de penetração de conexão à rede mundial é o México onde 93% dos proprietários de PCs acessam a internet. Em segundo lugar está Venezuela, com 77% de penetração de Internet, seguida da Argentina (com 72%), Chile (40,7%), Colômbia (28%) e Peru (14%).

O estudo encomendado pela Intel foi desenvolvido pelo Instituto Monitor primeiramente no Brasil, Chile, Colômbia e México, tem como objetivo estudar é conhecer o consumidor final de cada país, e ao mesmo tempo, entender o mecanismo que o direciona na hora de decidir a compra. A mesma análise está em desenvolvimento em outros países da região.

No Brasil, 31% dos lares têm computador

As expectativas do setor de computadores na América Latina giram em torno do Brasil. Segundo projeções, o país deverá se tornar o terceiro maior mercado de PCs no mundo até 2010. A pesquisa encomendada pela Intel aponta que 45% das pessoas que fizeram parte da amostra estariam dispostas a pagar entre R$1.450,00 e R$2.200,00. A barreira psicológica começa a partir do preço de R$3.000,00 por um notebook.

Com relação aos hábitos de compra do brasileiro, 93% dos consumidores verificam pessoalmente o produto nas lojas antes de realizar a compra. Um outro estudo encomendado pela Intel e realizado pelo Instituto Monitor revela que 62% dos consumidores das classes A e B brasileiras que compraram um computador nos últimos 12 meses procuraram informações pela Internet para ajudá-los na escolha do produto. Normalmente esses consumidores utilizam boletins informativos, sites de busca (como o Google) ou consultam diretamente os sites dos fabricantes e fórum de discussões especializados em tecnologia da informação como o Fórum PCS (65% dos consumidores). Dos 93% dos consumidores verificam pessoalmente o produto nas lojas antes de realizar a compra e apenas 19% efetua compra online. Com relação a compra por impulso, os homens são a maioria, representando 63% do total de consumidores.

A pesquisa revela ainda que o preço ideal de um PC varia de acordo com a camada social: a classe A está disposta a pagar a partir de R$2.000,00 por um computador, as classes B e C cerca de R$1.500,00 e a classe D até R$1.000,00.

O consumidor classe A: costuma ir até uma loja para obter informações sobre os equipamentos e também para ver uma demonstração. Já a classe B tem como característica preponderante para a aquisição de um computador a junção de três fatores: preço, desempenho e velocidade do processador.

O objetivo da pesquisa é entender o cenário da penetração de computadores nos lares da América Latina e periodicamente a Intel encomenda pesquisas nos principais países da região. Os questionários são endereçados à população das regiões urbanas, na faixa etária compreendida entre 16 e 75 anos que tenham alguma influência na compra de equipamentos eletrônicos para casa.

As amostras selecionadas compreendem em média 1.500 pessoas entrevistadas por país no primeiro semestre de 2008, com exceção do México, que teve sua pesquisa aplicada no primeiro semestre de 2007. A amostra se concentrou nos principais centros urbanos destes países. As empresas contratadas para a realização das pesquisas foram: Ipsos no Brasil e Argentina; Millward Brown Andean Region na Colômbia, Peru e Venezuela; Adimark GfK no Chile e Select Research no México.

E como é o perfil em outros países da América Latina?

O mercado do México é considerado como maduro no que diz respeito à penetração de PCs e acesso à Internet. Em 2007, o número de usuários mexicanos com acesso à Internet era de 23.7 milhões e a previsão para final de 2008 é que este número cresça para 27.8 milhões. A penetração de Internet no país cresceu 30% em seis anos; foram 4.8 milhões de usuários conectados à Internet em 2007, e a expectativa de crescimento é de 6.5 milhões até o final de 2008.

Quanto ao tipo de conexão existem cerca de 4.54 milhões de usuários com acesso à Internet por banda larga (4.3 por cada 100 habitantes), uma penetração de 93%. A penetração de PCs nos lares mexicanos é de 30,9%.

No México, 62% da classe AB do país é considerada bem informada sobre as tendências do processador e 62% dos consumidores da classe AB, que compraram PCs se consideram bem informados sobre as tendências do processador, revelou pesquisa encomendada pela Intel e realizada pelo Instituto Monitor. Já 82% da população procura informações on-line sobre tecnologia, sendo que 86% destes realizam as buscas em sites de tecnologia especializados. A porcentagem de consumidores que buscam informações sobre computadores no varejo é mais elevada no México (86%) do que no Brasil (59%) e é usada basicamente como fonte de informação pelos usuários. A população mexicana procura por informações como detalhes técnicos, onde comprar, exemplos de uso e preços na própria loja.

Na Argentina, 50% dos ‘los hermanos’ têm computador em casa.

Dentre as pessoas que possuem computador na Argentina, 72% estão conectadas à Internet, sendo que, desse total, 74% se conectam em casa (49% por banda larga ADSL, 39% por banda larga a cabo e 7% por discagem), segundo pesquisa contratada pela Intel e realizada pela Ipsos. A penetração de PCs no país é de 50%, sendo que 5% da amostra possuem notebook e 50% possuem desktops.

No vizinho Chile, 63,3% da população possuem computador em casa. A penetração de PCs no Chile é de 63.3% (59% desktop e 21% notebook), segundo dados do Nationwide Study, pesquisa encomendada pela Intel e realizada pela Adimark – GfK. Desta porcentagem, 85% dos entrevistados adquiriram um computador novo, e 15% um PC de segunda mão. Quanto ao acesso à Internet 40.7% da população no Chile se conecta a rede. Desta porcentagem, 64.3% possuem o acesso em casa. Mesmo realizando pesquisas online, 100% dos consumidores vão para as lojas obter mais informações antes de comprar um PC e dentre os consumidores chilenos que efetuaram a compra de um PC nos últimos seis meses 48% se consideram como altamente informados sobre as tendências de processadores.

A grande vantagem desta pesquisa é que ela ajuda a balizar as compras, definir a abordagem de vendas, as campanhas e para quem elas devem ser feitas e principalmente o preço que o consumidor está disposto a pagar. Em tempos de crise e dólar alto, levar a sério estas informações, pode fazer toda a diferença entre enfrentar um trecho desconhecido e pouco iluminado, com uma lanterna ou tateando pelo caminho tentando adivinhar para onde se está indo.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.