Gerentes de TI sofrem pressão: Fazer mais com menos.

A Symantec Corp. (Nasdaq: SYMC) divulgou os resultados de seu relatório 2008 State of the Data Center. Em seu segundo ano, o relatório mostra que gerentes de data center estão presos entre dois objetivos conflitantes – expectativas de usuários mais exigentes e maiores níveis de desempenho, ao mesmo tempo que reduzir custos permanece como objetivo principal para o data center. O relatório também descobriu que a formação de equipes de data center continua sendo um problema, servidores e armazenamento continuam a ser subutilizados e planos de recuperação de desastre estão desatualizados. Por último, os entrevistados disseram que embora estejam adotando iniciativas de data center “verdes”, estão fazendo isso principalmente com base nos benefícios de custo.

O segundo relatório anual de State of the Data Center da Symantec é o resultado de uma pesquisa conduzida em setembro e outubro de 2008. O estudo envolveu 1.600 gerentes, diretores, e vice-presidentes de data center de empresas com 5.000 funcionários ou mais, localizadas em 21 países de todos os continentes. No Brasil foram entrevistadas 49 empresas. Para obter a versão 2007 e acessar outros recursos interessantes sobre o relatório 2008, acesse o kit de imprensa completo em State of the Data Center.

Fazendo mais com menos

Dentre os entrevistados, 75% relataram que as expectativas de usuários estão aumentando gradualmente ou rapidamente. Além disso, 60% dos entrevistados observaram que atender os níveis de serviço exigidos pela organização está cada vez mais difícil. Somente 10% disseram que está mais fácil atender aos níveis de serviço. No Brasil 62% dos pesquisados disseram que está mais difícil/caro ou muito mais difícil/caro atender as expectativas das organizações em relação ao nível dos serviços.

No resultado geral, o principal objetivo identificado pela pesquisa para o ano foi de longe a redução de custos, seguido dos outros dois objetivos combinados: aprimorar níveis de serviço e agilidade de resposta. No Brasil o principal objetivo para 2009 é melhorar o nível dos serviços (33%) seguido por melhorar a velocidade da resposta (22%). Reduzir custos ficou com 14% das citações.

As principais iniciativas que as empresas estão adotando para “fazer mais com menos” incluem automação de tarefas de rotina, mencionado por 42% dos entrevistados, treinamento multi-disciplinar da equipe 40% e redução da complexidade de data center 35%.

Preenchimento de vagas continua sendo um Problema

De acordo com o relatório, o preenchimento de vagas continua a ser um problema crucial, 36% relata estar com falta de pessoal, enquanto somente 4% relataram estar com excedente de colaboradores. Além disso, 43% disseram que encontrar candidatos qualificados é um grande problema. No Brasil as expectativas de que os recursos para treinamentos aumentem ou permaneçam iguais é de 92%, maior do que a média observada nas Américas que é de 78%.

Para lidar com o problema de preenchimento de vagas, as empresas estão apostando em terceirização e treinamento. Aproximadamente metade (45%) terceirizam principalmente para dar ao pessoal de data center mais tempo de se concentrar em outras tarefas. As três principais funções líderes de TI que as empresas estão terceirizando incluem continuidade de negócios (46%), backups (43%) e gerenciamento de armazenamento (39%). O treinamento é visto como estratégico por 68% dos entrevistados, e 78% esperam que os budgets de treinamento aumentem ou permaneçam constantes nos próximos dois anos.

Servidores e capacidade de armazenamento continuam subutilizados

As empresas em 2008 relataram que seus servidores de data center estavam operando com apenas 53% da capacidade. A utilização da capacidade de armazenamento de data center estava ainda mais baixa, em 50%. Já no Brasil este número é de 70%, índice maior do que a média das Américas. De acordo com o relatório, a Symantec encontrou uma enxurrada de atividades voltadas para o aumento da utilização em ambas as áreas.

As principais iniciativas relacionadas a servidores incluem consolidação de servidor 80%, e virtualização de servidor 77%. Para armazenamento as iniciativas líderes foram virtualização de armazenamento 76%, proteção contínua de dados 71% e gerenciamento de recursos de armazenamento 71%.

Recuperação de desastre fica para trás (disaster recovery)

De fato, apenas 35% relataram que seus planos de recuperação de desastre estão acima da média, enquanto 27% disseram que os planos precisam ser trabalhados e 9% relataram que seus planos são informais ou não estão documentados. As empresas continuam achando que o erro humano é a maior causa do tempo de interrupção não programado, sendo o culpado 25% das vezes. A falha de hardware/software e falta de energia seguem logo atrás.

No Brasil, os entrevistados afirmaram que as principais causas de interrupções não-programadas são falha no hardware (24%) seguida por mudança/erro humano (23%).

Data center verde impulsionado pelo custo

Mantendo a tendência identificada em 2007, o data center “verde” foi impulsionado por problemas de custo em 2008 e pela responsabilidade social. O relatório perguntou a três empresas porque criar um data center verde (Green Data Center) era importante para o seu local de trabalho. Reduzir o consumo de eletricidade foi mencionado por 54%, seguido por reduzir os custos de resfriamento 51% e um senso de responsabilidade com a comunidade 42%.

Necessidade por soluções

O relatório desse ano mostra que continua importante para às empresas controlar a complexidade e os custos do data center. Com a obrigação de literalmente fazer mais com menos, as empresas precisam encontrar soluções que tenham um efeito imediato em custo e eficiência.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.