DESTAQUES Teste de Motos 

FACTOR 150 – A moto que é sinônimo de grande economia

yamaha-factor-150-2016-23-620x413

Já testamos várias motos de diferentes cilindradas e marcas, mas nenhuma que deixasse aquela sensação de surpresa em relação ao consumo como foi testar a nova FACTOR 150.

Quando Brando Dutra de Souza atingiu a marca de 79 km por litro todos disseram: “Como?”

Segundo Brando, ele já sabia que a Yamaha era muito econômica, mas chegar a 79 km foi uma surpresa. “Eu não usei nenhuma técnica especial, só rodei suavemente, mantendo uma marcha alta, 3a, 4a e 5a, e variando a velocidade entre 30 e 40 km/h.” Destaca.

nova-imagem9

E para quem pensava que a marca de Brando era uma excepcionalidade basta ver as outras e perceber que a disputa foi definida no detalhe. O segundo colocado, percorreu 75 km em três horas de prova; enquanto a terceira melhor marca foi de 66 km em 2h45; e a quarta foi de 65 km, 2h45. Nas mãos do quinto colocado, a Factor 150 fez 64 km com um litro de gasolina, em 1h50. Todos os cinco primeiros colocados receberam prêmios.

Nos chamou a atenção o fato de que a maioria dessas motos na faixa de 150cc não consegue atingir essa marca com grande facilidade, ou pelo menos não fora registrado algo nesse sentido.

Daí a curiosidade do Você e Sua Moto em conhecer a nova Factor.

Pegamos a moto de Test Drive na Crasa motos com meu amigo Marquinhos e iniciamos as primeiras impressões na volta para casa. Da Bezerra de Menezes, em Fortaleza – CE até o Eusébio – CE (quase fronteira com Aquiraz- CE), o trecho é perfeito para perceber o que você tem na mão. São mais de 35 quilômetros de trânsito pesado e algumas vias bem carregadas de carros, ônibus, caminhões e bicicletas. Sim, algumas ruas de Fortaleza ficaram muito complicadas para o trânsito de motos quando o prefeito Roberto Cláudio decidiu incluir ciclofaixas por toda a cidade.

O que estava difícil, ficou ainda pior. Mesmo assim a Factor saiu-se bem. O guidão mais alto e mais estreito facilita passar entre os carros e por cima da maioria dos retrovisores dos veículos. Se passa aperna, passa a moto, pois sua largura é de apenas 735 mm.

Os freios da moto são bons, mordem bem e ajudam nas manobras curtas, especialmente o traseiro. Os freios são compostos de disco de 245 mm de diâmetro de acionamento hidráulico e freio traseiro a tambor, com 130 mm de diâmetro, de acionamento mecânico, isso na versão “ED”. Na versão “E”, a moto traz freios a tambor nas duas rodas.

A Factor é bem leve e confortável por conta dos seus 126 kg. O banco com camada de espuma em dois níveis permite pilotar a moto por mais tempo sem se cansar.

No trecho de estrada, cerca de 20 km, o desempenho foi muito bom. Ela atinge a velocidade máxima de 120 km/h e consegue manter com facilidade os 90 km/h nas subidas em quinta marcha. Por ser leve, a Factor sofre com o vento, principalmente o lateral, portanto, cuidado para que ela não seja deslocada rapidamente de uma faixa para outra.

O Motor
nova-imagem4

O propulsor de um cilindro, 149,3 cm³, (SOHC), injeção eletrônica de combustível e arrefecimento a ar, tem tecnologia flex – etanol e/ou gasolina.

É o mesmo motor usado na Fazer 150 com 12,2 cv de potência, quando alimentado com gasolina, e 12,4 cv com etanol, ambos a 7.500 rpm. O torque máximo é de 1,285 kgf.m com gasolina e 1,295 kgf.m com etanol aos 5.500 giros. O tanque vem com a bomba de combustível embutida, tem capacidade para 15,2 litros de combustível. O consumo médio ficou na ordem de 40,5 km/litro em circuito misto (urbano e estrada). A autonomia do tanque pode chegar aos 600 km rodados em grande dificuldade.

O Chassi

nova-imagem5

O chassi é feito em tubos de aço e traz uma  suspensão dianteira com garfo telescópico convencional e curso de 120 mm e suspensão traseira amortecida por sistema de dois amortecedores com um curso de 111 mm na roda traseira. O pneu traseiro de medidas 90/90-18. Este pneu oferece melhor custo-benefício também no momento da troca.

O painel

nova-imagem

O painel é completamente digital e mostra informações como velocímetro, conta-giros, hodômetros, marcador de combustível e indicador de marcha. Ajuda o piloto a saber se está pilotando com economia. A luz “ECO” no painel, acende sempre que o motor trabalha na faixa de rotação de maior economia.

Tem ainda a presença do lampejador de farol alto. Alguns reclamam da falta do botão “corta-corrente”, mas a maioria desliga na chave mesmo. Talvez por isso a Yamaha resolveu tirar este item da lista de comandos da moto.

A versão ED, testada, tem rodas de liga e freio a disco. Vem em quatro opções de cores – branca, laranja, preta e vermelha. O preço fica na faixa de R$ 7.990. O modelo E, com rodas raiadas e freios a tambor nas duas rodas, custa R$ 7.390 e vem nas cores branca, preta e vermelha. A garantia é de 3 anos.

O visual

nova-imagem10

A Factor tem um visual que lembra mais o DNA esportivo que uma street. Bonita, ela também é robusta e suporta bem quem a usa para trabalho. Usamos a moto por alguns dias em vários tipos de missão, inclusive com garupa e carregando bagagem amarrada no banco traseiro. Aliás, carregar algo nela não é algo difícil, pois a alça traseira ajuda e amarrar a bagagem de forma rápida.

nova-imagem2O farol tem boa luminosidade e garante boa visibilidade à noite. A Factor parece maior do que realmente é e é aquela moto que você tem para usar muito em razão da sua resistência e acabamento. O protetor sobre o escapamento é tipo anti-queimadura e é muito útil para evitar aquelas graves queimaduras provocadas por escapamentos muito aquecidos.

Boa de curvas e amigável nas manobras, ela nos surpreendeu ao passar com folga em todos os tipos de missão que foi submetida.

A Yamaha acertou na moto de entrada.

 

 

imagem1

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.