Conheça a tecnologia por trás de um capacete de F1

Felipe Massa sofreu um grave acidente na tomada de tempo para o GP da Hungria, provocado por uma mola que se desprendeu a 280 km/h e atingiu o capacete do piloto que teve que passar por uma cirurgia e, segundo informações, “a situação é grave e envolve risco de vida, mas ele está estável”, afirmou Peter Bazso, diretor-médico do hospital em Budapeste, segundo a AP.

[photoframe size=large desc='' align=center folder='wp-content/blogs.dir/33/files/conheca-a-tecnologia-por-tras-de-um-capacete-de-f1' filename='hem.jpg']

Apesar da gravidade do acidente, uma peça, que poucos levam em consideração e muitos costumam economizar quando compram é o capacete. O capacete é a peça mais importante no item equipamento de segurança de qualquer piloto-seja de carro ou moto.

Conheça um pouco a tecnologia do capacete que amenizou o impacto no acidente que sofreu Felipe Massa.

Sua forma parece muito com as usadas pelos pilotos da década de 1980 e até da década de 1970, mas acaba ai. Hoje a concepção, construção e a tecnologia mudaram radicalmente ao longo dos anos.

[photoframe size=large desc='' align=center folder='wp-content/blogs.dir/33/files/conheca-a-tecnologia-por-tras-de-um-capacete-de-f1' filename='helmet1.jpg']

Em 1985 pesava cerca de 2 kg. O peso aumenta absurdamente sob grande força G ou desaceleração, acrescentando que o risco de “whiplash” tipo de lesões em grandes acidentes aumenta consideradamente.

Traumas de cabeça e pescoço foram identificados como o maior risco de danos aos pilotos, por isso os fabricantes de capacetes passaram a dar a maior importância na redução da massa dos capacetes, enquanto aumentam a sua força e resistência a impactos.

Os atuais capacetes são incrivelmente fortes, e também bastante leves, pesando aproximadamente 1,25 kg. Capacetes são construídos a partir de várias camadas distintas, que oferecem uma combinação de força e flexibilidade.A casca exterior tem duas camadas, tipicamente uma fibra-resina reforçada ao longo de fibras de carbono. Abaixo disso vem uma camada de plástico muito forte, o mesmo material usado em coletes à prova de bala. Existe ainda uma suave e deformável camada feita de um plástico baseado em poliestireno, coberto com um material a prova chama.

O visor é feito de um policarbonato especial e precisa combinar proteção contra impactos com resistência a chama e visibilidade. O interior é revestido com produtos antiembassantes. Sentados diretamente abaixo das principais entradas de ar do motor, capacetes são cada vez mais uma forma de ajudar no processo de redução de arrasto nesta área de notória turbulência aerodinâmica.Os desenhos modernos também reduzem o efeito “lift” que faz com que os capacetes não mais tendam a sair da cabeça do piloto. O esforço por conta do “lift” gera um peso de até 15 kg nas corridas de maior velocidade.

A ventilação para o piloto é através do uso de várias pequenas entradas de ar equipadas com filtros especiais. Os capacetes de Formula Um ainda são pintados à mão, exigindo centenas de horas de trabalho em complicados desenhos.

A FIA tem requisitos restritos para o ‘super capacete’ de Formula Um. Para obter aprovação para o uso no Grande Prêmio, um projeto de capacete deve passar por uma série de testes, que abrange fatores como a resistência a esmagamento à penetração da superfície e fricção. Ela também deve funcionar corretamente em conjunto com o dispositivo obrigatório HANS (Head and Neck Support) .

Se não fosse isso, hoje a gente poderia estar lamentando a perda de um grande piloto. A propósito: rumores dão conta de que o acidente com Massa ajudará a reforçar ainda mais a qualidade dos capacetes, pois o fato em questão, apesar de previsto, não tinha sido habilitado totalmente para absorver o impacto do choque com a mola desprendida do carro de Rubinho Barrichelo.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.