Brasil adere a projeto intern. de compartilhamento de redes

…ópticas

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP/MCT), o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), a Rede Acadêmica de São Paulo (Ansp) e o projeto KyaTera formalizaram a parceria com a Global Lambda Integrated Facility (Glif). Estas são as primeiras instituições da América Latina a se integrar à colaboração internacional, que reúne gestores de pesquisa para o compartilhamento de suas redes ópticas.

A adoção dos circuitos virtuais em redes de pesquisa é uma tendência mundial. No caso da Glif, o interesse é exclusivamente pelo estudo dos circuitos virtuais fim a fim, usados, em geral, para aplicações que necessitam de grande capacidade de transporte como, por exemplo, as de vídeo de alta definição ou processamento distribuído de alta capacidade. Um dos pré-requisitos é que as redes participantes tenham, pelo menos, um gigabit por segundo de capacidade de banda disponível para os circuitos virtuais.

Os circuitos virtuais começaram a ser utilizados para aplicações na área de física, realizadas, colaborativamente, entre pesquisadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), instituição participante da RNP, e do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), na Suíça. Outro potencial usuário do recurso é o Rádio Observatório Espacial do Nordeste (Roen), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT), localizado no Ceará, e tem parceria com o Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja os mapas das conexões Glif em várias resoluções em

Postagens Relacionadas

Leave a Comment