As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

EDITORIAL – Sobre mulheres, flores e motos

COMPARTILHEM Nesta semana, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o “Você e sua Moto” faz a merecida homenagem às motociclistas e garupeiras que são realmente apaixonadas por suas motocicletas! Digo isso porque a moto que eu piloto não é minha, mas da minha esposa! Afinal, se ela não tivesse aprovado, provavelmente eu não teria a moto que tenho hoje. Na verdade eu não teria era moto alguma! Em pleno século XXI, passados mais de 100 anos da invenção da primeira motocicleta, eu ainda fico impressionado (melhor dizendo: decepcionado) com…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

Clássicas do Otoch – Ducati: O nascimento de um Monstro

COMPARTILHEM No início dos anos 90, com a enxurrada de grandes motos japonesas entrando no mercado com preços competitivos, as fortes emoções que a marca italiana Ducati despertavam nos consumidores agora não pareciam mais tão intensas. O “namoro” com os fãs estava agora abalado e a marca de Borgo Panigale passava com uma certa crise financeira. Uma das alternativas para que a marca saísse dessa má fase foi pensar em uma moto que fugisse do estilo esportivo e pudesse ser customizada, ou seja, uma moto pensada para o mercado norte-americano,…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

As Clássicas do Otoch: R90S, A primeira superbike do mercado

COMPARTILHEM Até 1968 as motos da BMW, que já haviam sido as melhores do mundo no começo do século, estavam há um bom tempo sendo consideradas motos ultrapassadas pela falta de atualização em design e principalmente em mecânica, que era exatamente as características principais procuradas pelos consumidores daquela época. No pós-guerra as motos foram muito apreciadas por se tratar de um meio de transporte barato e prático, mas na década de 60 com a economia mundial já bem mais estável e em crescimento e com consumidores já tendo dinheiro para…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

As “Cafe Racers” nas Clássicas do Otoch

COMPARTILHEM Na minha primeira coluna, quando falei sobre a história da Honda CB 750, comentei sobre as “Cafe Racers” e ressaltei que o “cafe” é sem acento agudo, mas não me aprofundei no assunto, prometendo que um dia explicaria o motivo. Pois bem, hoje vou contar um pouco sobre a história desde movimento e explicar o porquê da origem deste nome que é muito confuso até mesmo para pessoas apaixonadas pelo estilo, chamado por alguns de “café racer”, “coffee racer” e por aí vai. Tudo começou na Inglaterra dos anos…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! 

De moto “Tudo é percebido e contemplado”

COMPARTILHEM Muito feliz em ver minha terra assim, toda verde e com as montanhas furando as núvens ali atrás! Viajar de carro é legal, mas pegar a estrada de moto é uma experiência que não se pode narrar completamente, porque sempre faltarão palavras pra expressar o quanto é meditativo. A atenção fica em constante alerta, com as percepções mil vezes mais aguçadas. A paisagem não é vista com o enquadramento da moldura dos vidros dos carros, mas sim vista com toda sua essência, cores, linhas e formas completas, sem cortes,…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

Clássicas do Otoch: A lendária GSX-R 750

COMPARTILHEM Desde quando comecei a me interessar por motocicletas compro religiosamente as revistas especializadas no assunto e as figurinhas mais carimbadas das capas são as motos da linha GSX-R (as carenadas com motores esportivos) da marca Suzuki. Sempre com a chamada “Nova GSX-R melhorou” nisso ou naquilo outro.Tanto para o modelo de 1000cc quanto o de 750cc. E com o passar dos anos eu fiquei ‘encafifado’ com estas matérias e pensando: “putz, mas estas motos recebem reformulações praticamente todo ano! Como pode?” Com este pensamento martelando minha cabeça até agora,…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

Yamaha Ténéné 600 nas CLÁSSICAS DO OTOCH!

COMPARTILHEM Nestes dias encontrei num estacionamento essa Yamaha Ténéné 600, uma peça clássica da historia do motociclismo mundial! Essa passou por uma restauração muito bem feita! Parece uma zero km que acabada de sair de uma concessionária! Então, tomado por uma nostalgia de um tempo em que eu só andava na mini-moto do meu irmão mais novo ou na mobilete Caloi do namorado da minha vizinha, resolvi escrever sobre esta belezura da foto que foi um grande ícone dos anos 90! No Brasil, este modelo da foto foi comercializado entre…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

Z 1300 – A seis cilindros da Kawasaki nas Clássicas do Otoch

COMPARTILHEM Numa época em que os fabricantes japoneses estavam dominados pelos “excessos” e cresciam sem parar em relação a ganho de mercado, novas tecnologias e, não menos importante, em tamanhos de motores, a Kawasaki decide entrar de cabeça nesta “brincadeira” e apresenta a Z 1300, uma moto incrivelmente linda e que, de quebra, era a mais potente moto fabricada em série lançada em sua época! Na década de 70 a Honda já tinha uma boa fatia do mercado com motos potentes e confiáveis de quatro cilindros e em 1978 ela…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

CLÁSSICAS DO OTOCH – Bonneville T120 – Do sal para a história!

COMPARTILHEM Todos que curtem motocicletas com visual antigo com certeza já sonharam em ter ou pelo menos pilotar a clássica Triumph Bonnevile, hoje denominada de “Bonneville T100”. Esta moto surgiu no fim da década de 50, época em que a busca por recordes mundiais de velocidade era o principal objetivo dos grande pilotos de corrida de todo o mundo. Todos queriam eternizar seus nomes não apenas nas pistas de corrida, mas também a bordo de uma autêntica streamliner (nome dado às motos com motores preparados pra corridas e revestidas com…

LEIA MAIS!
As Clássicas do Otoch! DESTAQUES 

EXCLUSIVO! Rick Fairless: É colorido, mas não é carnaval! É customização!

COMPARTILHEM O customizador de motocicletas Rick Fairless é uma daquelas figuras que são identificadas de longe em qualquer evento de motocicletas do mundo! Com seu jeitão de hyppie barbudo, quem o vê e não o conhece pode até pensar que se trata de um “paz e amor” malucão. Mas por dentro de suas blusas coloridas há um empresário visionário, sério e muito competente! O primeiro emprego de Fairless foi aos 19 anos numa cadeia de lojas de tintas do seu tio, a Roach Paint Co. Ele começou no estoque, passou…

LEIA MAIS!
error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.