APC confirma a compra da Microsol.

Conforme anunciado no Fórum PCS, em primeira mão, a APC, empresa do grupo francês Schneider Electric, finaliza a negociação para a compra de 100% das ações da fabricante brasileira de estabilizadores, no-breaks e acessórios e que está no mercado há 25 anos.O acordo estará totalmente fechado até o final do primeiro trimestre de 2009, mesmo estando sujeito a algumas condições, inclusive a aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). As parte não revelam o valor da transação. A Schneider Electricadquiriu a American Power Conversion em 2007 ao comprar as ações da APC pelo equivante a US$ 6,1 bilhões.

Conforme era esperado aMicrosol será integrada à APC Brasil e se tornará parte da unidade de negócios de soluções e serviços para ambientes críticos de energia e refrigeração da Schneider Electric. Com a aquisição, a APC vai ampliar sua atuação no mercado brasileiro. Esta reestruturação está em fase final de conclusão. A fusão resultará numa empresa com grande capacidade de produção aliada a uma grande força no varejo que a Microsol possui e que se complementará com a vocação da APC para o mercado corporativo pouco atendido pela Microsol.

A Microsol é um dos dois principais players no Norte e Nordeste e atua forte no varejo, a APC concentra seus negócios principalmente no Sul e Sudeste e trabalha mais na área corporativa. Outro ponto forte da fusão é a eficiência da linha de produção da Microsolque possui agilidade na adaptação das necessidades do cliente, diferente da APC que émais padronizada. As empresas ainda aguardam o aval ao negócio para definir a nova estrutura, mas isso é apenas uma questão de tempo pois a fusão das duas empresas não fere diante mão nenhum princípio da livre concorrência. A Microsol que tem sede em Fortaleza e emprega 500 funcionários junta-se a APC que tem sede emSão Paulo e emprega 150 pessoas.

Tendência já esperada neste segmento, em breve estima-se que teremos no máximo 5 marcas de produtos destinados a proteção contra distúrbios elétricos e missões críticas passem a disputar o mercado. Hoje existem cerca de 10 empresas disputando fortemente o mercado brasileiro, que é liderado pela paulista SMS. Com a fusão a SMS começa a reavaliar suas estratégias diante da visão de dois grandes concorrentes crescendo, cada vez mais no seu retrovisor.

A saga da Microsol, que é considerada quase como uma unanimidade no Nordeste em termos de confiabilidade, é uma história construída com muita determinação pelo seu maior acionista, Valdelirio Soares que ainda garoto saiu de Crateús, CE;(cidade situada no Polígono das Secas) de família pobre e teve a coragem de criar a primeira indústria de tecnologia do Ceará, há 25 anos epuxou este desafio de tal forma que hoje, a Microsol ( palavra que na realidade é uma sigla e quer dizer: “micros na Terra do Sol), cresceu a ponto de despertar o interesse da maior grupo do mundo no setor. Poucos conhecem a história da Microsol e muitos não sabem que ela se confunde com a história da informática no Brasil.

Ainda esta semana estarei publicando uma coluna contando a história de uma empresa brasileira que encanta pelo pioneirismo e por que não dizer: pelo ‘atrevimento’ de enfrentar a partir de Fortaleza, no Ceará, grandes marcas nacionais e internacionais. A fusão talvez tire a parte ‘atrevida’ da Microsol, mas ainda assim ela será um exemplo a ser estudado como case em várias linhas, dentre elas a primeira a utilizar processadores RISC em no-breaks inteligentes e a tecnologia FLASH.

Sobre a Schneider Electric

Sediada na França, a Schneider Electric é uma empresa internacional que projeta, fabrica e comercializa produtos, soluções e serviços para Distribuição Elétrica e Automação e Controle. A Schneider Electric é líder mundial em sistemas de automação e gestão de electricidade e divulgou receitas de € 11,7 bilhões em 2005 e tinha 88.670 empregados distribuídos em 130 países.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment