DESTAQUES Mercado 

A Harley-Davidson comemora, em 2015, 50 anos da Electra Glide

1971_Electra_Glide-1024x753A Harley-Davidson comemora, em 2015, 50 anos do lançamento da Electra Glide, modelo que, de acordo com a montadora, praticamente inaugurou o segmento “Grand Touring” nos Estados Unidos. Acompanhe abaixo a linha do tempo na evolução do modelo, segundo a empresa, em comunicado à imprensa especializada em motociclismo sobre o aniversário da moto:

1965: Lançamento da Electra Glide

1965-FL-Electra-Glide-1024x802A emblemática moto evoluiu muito com o passar do tempo e, já em 1965, apresentava a aparência inconfundível da Electra Glide que é conhecida pelos motociclistas de hoje. Os modelos Touring Harley-Davidson sempre foram projetados privilegiando a praticidade e o conforto em viagens de longa distância. Em 1912, a primeira linha de acessórios H-D incluía o Luggage Carrier, espécie de suporte para transportar bagagens.

As motos de grande cilindrada, ideais para rodar muitos quilômetros, evoluíram a partir da Knucklehead EL de 1936, com motor de 61 polegadas, chegando aos modelos FL, com propulsor de 74 polegadas, em 1941. Essa foi a moto que se transformou na Hydra Glide, em 1949. Em 1958, a Duo-Glide foi a primeira a possuir suspensão traseira, bem como freio traseiro hidráulico.

1960 a 1980: Dos primórdios à evolução

2009-Electra-Glide-Standard-1024x750A família Touring teve sua grande ascensão em 1960. Cinco anos depois, a Harley-Davidson inseriu um acionador de partida elétrico na FLH e criou a FLHB Electra Glide. A inovação foi fundamental para eliminar o pontapé na máquina, uma ação que se tornava cada vez mais difícil nas motocicletas com grandes motores V-Twin pesando mais de 350 kg.

Como eram necessários uma bateria maior e um sistema elétrico de 12V para executar o acionador de partida, o tanque de óleo foi redesenhado. Inicialmente, a H-D manteve o pedal com o sistema, para as pessoas que tinham dificuldades para se adaptarem aos novos tempos.

Em 1965, o visual da Electra Glide ganhou destaque no mercado, com saias elegantes no para-lama, banco com posição pensada no conforto do piloto, para-brisa e alforjes de fibra de vidro, que podiam ser colocados como opcionais individuais ou como parte do pacote chamado King of the Highway. O modelo oferecia diversas opções para atender às necessidades dos motociclistas, incluindo sistema de silenciadores duplos, além de uma combinação de marcha de mão/embreagem de pé.

Décadas de 1970 e 1980: A introdução do motor Shovelhead, em 1966, garantiu 10% a mais de potência. Três anos depois, a carenagem montada nos garfos – que ficou conhecida como “BatWing” – foi oferecida como opcional e, algum tempo depois, tornou-se mundialmente conhecida e virou sinônimo da H-D.

O modelo evoluiu ainda mais durante as décadas de 1970 e 1980, ganhando freios a disco dianteiro e traseiro hidráulicos, transmissão final por correia e painel com sistema de som montado na carenagem – Electra Glide Classic de 1986.

1988: O surgimento da FLHS Electra Glide Sport

1988_FLHS_Glide_Sport_Red-1024x705Foi neste ano que aconteceu uma das mudanças mais marcantes, com o lançamento da FLHS Electra Glide Sport, versão mais ágil e compacta, que não incluía baú traseiro e contava com para-brisa removível. A FLHR Road King 1994, foi inspirada no design da Electra Glide 1965 original, e a Street Glide de 2006, no icônico modelo Touring. Mais recentemente, em 2009, a Electra Glide e todos os outros modelos Touring da marca receberam um quadro totalmente novo, com centro de gravidade mais baixo e maior distância entre-eixos.

No Brasil, a Ultra Limited, modelo mais completo de série na família Touring, substituiu a Electra Glide Ultra Classic a partir do modelo 2012, e já no ano seguinte foi contemplada com todas as inovações do Projeto RushMore se tornando em um dos modelos mais vendidos pela marca no país.

2013: Projeto Rushmore revoluciona família Touring da Harley-Davidson

2014-Rushmore-Electra-Glide-Ultra-Limited-1024x683O novo motor Twin Cam 103 High Output Twin Cooled de refrigeração mista proporciona mais torque em nível intermediário, enquanto o sistema de freios Reflex, com ABS conectado eletronicamente, fornece a quantidade certa de frenagem traseira ao usar o freio dianteiro a mais de 40 km/h.

O Projeto Rushmore aprimorou o conforto do motociclista e do passageiro, com assentos maiores, encosto mais alto para a garupa e carenagem estilo “BatWing”, reestilizada com um duto de equalização dianteira, que reduz a turbulência em 20%. Nos quesitos informação e entretenimento, os modelos ganharam tela touchscreen e sistema de navegação por satélite, além de software de reconhecimento de voz, que permite controlar o som e o GPS usando a fala.

Mesmo com todos os refinamentos e atualizações, a Electra Glide permanece única e inconfundível. É uma moto que, apesar de toda a evolução, possui as características e a essência da sua ancestral de 1965, que tanto fascina os harleyros do mundo todo.”

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.