A Elite da Tropa

Não é fácil fazer parte da elite da tropa.

Certa vez ouvi que apenas 5% das pessoas de uma turma de faculdade é que fariam à diferença ou que entrariam para história por seus feitos. O restante iria sobreviver ou viver da profissão apenas.

Um funcionário com vários anos de casa estava reclamando que há tempos não recebia promoções e que outras pessoas, com bem menos tempo de casa que ele, já haviam sido promovidas e com salários bem melhores. O chefe ouviu e lhe fez uma pergunta: -“Caro Fulano, você pode me dizer que movimento de caminhões é aquele ali embaixo?”.

O Fulano olhou e disse: “Olha deve ser para descarregar e recarregar algumas coisas, pois vejo intensa movimentação.”

-“Obrigado. Aguarde um minuto, por favor.” Fala o chefe.

Em seguida pegou o telefone e chamou o Sicrano. Em menos de um minuto o Sicrano chegou.

-“Senhor Sicrano, o senhor pode me dizer que intensa movimentação de caminhões é essa?” Pergunta o chefe.

-“Chefe, existem lá embaixo 6 caminhões. Desses, 4 estão descarregando gabinetes de aço para os novos pedidos que chegaram daquela licitação que lhe falei. Estamos no prazo de entrega. Os outros 2 estão sendo carregados de produtos prontos que seguirão para o Nordeste, Sul, Centro-Oeste e Sudeste. Sãodois milhões de reais em pedidos que estamos embarcando. Mais alguma informação?”

-“Não, obrigado.” Finalizou o chefe.

O Sicrano se retira da sala e em seguida o chefe olha pro Fulano e diz: ” O Sr. entendeu por que ele foi promovido em pouco tempo e o senhor não?”

O Fulano retirou-se sem dizer uma palavra.

Talvez essa passagem nos diga muito do que queremos saber sobre aqueles 5% de que fala a pesquisa.

Mas quais seriam as características da elite da tropa?

O que os faz tão diferentes assim?

Agressividade controlada. Uma das características dessas pessoas que fazem diferença é a agressividade controlada. Sabem se posicionar e avançar no momento certo e sempre terminam o que começam. Adoram desafios e por isso estão sempre bem carregadas de motivos. Alguns confundem essa agressividade com violência extrema e com o desrespeito ou a inobservância de condutas éticas. É possível ser agressivo sem perder o caráter ou o controle emocional.

Controle emocional. Aqui está o segredo de boa parte dessas pessoas. Elas podem até perder algumas batalhas, mas conseguem enxergar uma vitória total lá adiante. Não cegam para os infortúnios e nem se deixam abalar pelas provocações. Controlam as reações através de um filtro emocional poderoso e nunca expressam seus verdadeiros sentimentos estampados na cara. Não são falsos. Jogam limpo, mas sabem quando devem reagir. Agir na hora errada pode ser precipitação ou atraso. Essas pessoas sabem quando devem chegar e o que fazer na hora certa. A emoção fica pra depois: ou para comemorar ou para desabafar ao final da ação.

Disciplina consciente. Saber o que fazer e respeitar as etapas de cada ação. Preparar-se e seguir os procedimentos corretos. Não queimam etapas e nem perdem tempo com aquilo que não importa, mas dedicam-se ao máximo àquilo que é essencial para seus objetivos.

Espírito de corpo. Sozinho não se chega a lugar nenhum e saber trabalhar em equipe é uma arte. Essas pessoas conseguem transferir para cada membro as razões pelas quais estão naquela missão. Cada um cuida de si e do outro. No filme-Os 300 de Esparta-a disciplina espartana rezava que cada espartano cuidava de si e do homem ao seu lado. Isso criava uma força praticamente intransponível na falange. Assim devem ser as equipes e aqueles que lideram essas pessoas. Fazer com que cada um seja importante para o objetivo final.

Flexibilidade. Nem sempre tudo caminha como desejamos e rotas precisam ser corrigidas. Essas pessoas percebem claramente qualquer desvio de rota, o mínimo que for. E sempre estão a corrigir. A flexibilidade é uma característica clara desse perfil. Eles se moldam e remodelam-se. Funcionam como um mercúrio (metal líquido) que assume formas que diminuem a resistência e economizam energia na empreitada. Desastres e tragédias são provocados, na sua grande maioria, por pessoas intransigentes e inflexíveis. Muitos confundem persistência com teimosia. Na primeira a flexibilidade é bem-vinda na segunda é inaceitável.

Honestidade. Ethos, em grego, também significa hábitos e hábitos podem ser bons ou maus. Mas a honestidade é uma característica clara de pessoas que gostam de fazer as coisas da forma correta. Para estes os fins não justificam os meios e a Lei de Gerson é algo que deve ser evitado. Muitos confundem honestidade com beatitude, mas não é. A honestidade passa transparência, mas não é ingenuidade. Honestidade também é não corromper-se.

Iniciativa. Não esperar pela hora boa quando ela pode ser construída. Essas pessoas sabem ligar muito bem com a agressividade controlada, a disciplina consciente, a flexibilidade e a iniciativa. Isso faz com que determinadas situações que, para a maioria dos mortais deveriam se transformar em problema, para esse grupo, tomar a iniciativa é fundamental. Às vezes acontece das equipes congelarem ou pela soberba ou pelo medo. Nesse momento, alguém com essa habilidade, fará a diferença entre o sucesso e o fracasso. Muitos confundem iniciativa com liderança.

Lealdade. É preciso acreditar em algo e seguir um modelo de comportamento. Fé é algo que também significa isso e religião ou religare que dizer reconexão. A lealdade a determinados objetivos, a valores, pessoas ou modelos é fundamental para quem deseja vencer. Os grandes jogadores de futebol, considerados corretos e éticos, vestem a camisa do time e por ele dão toda a sua dedicação e lealdade. Cumprem seus acordos e são fiéis aos princípios da empresa que os contrata e aos seus próprios. Lealdade quer dizer também dedicação. É assumir como seus os valores de quem ele defende ou promove. No caso dos jogadores, findo os contratos, muitos mudam de time e lá serão novos valores, outros objetivos e um novo compromisso de lealdade. Lealdade também é não trair.

Liderança. Essas pessoas são seguidas pelo exemplo de responsabilidade, compromisso, valores éticos e morais. Liderar é orientar, motivar e tirar das equipes tudo aquilo que elas não imaginam ter. Essas pessoas estimulam potenciais e preparam seus sucessores. Sabem que não são lideres, mas que estão liderando um time para o cumprimento de uma missão. Ora podem estar liderando, ora são liderados. Respeitar competências e limitações, acreditar, delegar (não confundir com abdicar) são características de um verdadeiro líder.

Perseverança. Não há dor que os faça parar. Não há sofrimento que os atrase. Não há derrota que os desanime. Essas pessoas buscam forças onde ninguém mais imagina que existam. Elas simplesmente continuam caminhando e só param para retomar o fôlego ou para reavaliar a situação. Se não dá certo de um jeito, tentam de outro e seguem. Essas pessoas criam histórias e fazem a diferença por elas e por todos os outros. Viram exemplos, passam a ser referência de sucesso. Não acreditam que exista vitória sem sacrifício ou dor. Sabem que obstáculos existem e detestam falar das suas competências, querem apenas que lhes dêem uma missão. Desistir é uma palavra que não existe no dicionário deles. Thomas Edison tentou mais de mil vezes fazer a lâmpada funcionar. Mandaram desistir, mas ele disse que tinha descoberto mais de mil maneiras de como não fazer uma lâmpada funcionar. Mais algumas tentativas e ele consegue fechar seu objetivo.

Akio Morita, criador da Sony , gostava de trabalhar ouvindo música e queria ouvir música andando, mas os equipamentos de som eram grandes e pesados para levar consigo e nem todo mundo gostava de ouvir as músicas dele. Alguns lugares eram barulhentos, outros pediam silêncio. Daí teve uma idéia. Juntou os fones de ouvido a um tape-deck e levou aos engenheiros. Eles desenvolveram o walkman(Nobutoshi Kihara, mais precisamente). Quando o primeiro aparelho ficou pronto, em abril de 1979, os vendedores não ficaram muito entusiasmados com a idéia e afirmaram que o Walkman venderia pouco. Akio Morita que acreditava na idéia, então, propôs um desafio: se o Walkman não vendesse pelo menos 100 mil de unidades em seus dois primeiros anos de mercado, ele renunciaria à presidência da Sony. Akio ganhou a aposta e naquele período cerca de 1,5 milhões de Wakmans foram vendidos. Anos depois esses ‘trambolhos’ se aperfeiçoaram e de tocadores de fitas k7 viraram potentes iPods.

Akio era um dos 5% da sua turma que fizeram diferença.

Todas essas características são inerentes a pessoas que se destacam nos vários setores da economia mundial. Umas com nome e sobrenome; outras viram marcas e poucos passam a ser lenda.

Toda empresa gostaria de ter alguém com essas características e pessoas com esses predicados têm vaga garantida em qualquer lugar, seja como empregado ou empreendedor, pois mesmo quando as condições são desfavoráveis ou não existem, eles as criam.

Se você possui estas características então pode pleitear o seu lugar no mundo. Pode até mesmo fazer parte do BOPE-Batalhão de Operações Especiais e servir ao lado ou, até mesmo, ser um ‘Capitão Nascimento’, pois todos os itens listados acima são mandamentos do BOPE.

Não é fácil fazer parte da elite da tropa. Qualquer que seja ela. É realmente ‘osso duro de roer’.

Postagens Relacionadas

Leave a Comment

error: Não pode ser copiado. Pode ser impresso e compartilhado.